Junho termina sem chuva e com presença de névoa seca em SP

METEOROLOGISTA A previsão para reta final de junho, segundo o meteorologista Adilson Nazário, é de tempo seco, baixa umidade relativa do ar e surgimento de névoa seca.

Junho começou chuvoso e deve terminar sem nenhuma gota de água esta semana, segundo meteorologistas do CGE (Centro de Gerenciamento de Emergências), órgão da Prefeitura de São Paulo.

Nos sete primeiros dias do mês, São Paulo acumulou 167,8 mm água, quando o esperado para todo o mês era de 45,2 mm. Contudo, desde o dia 8 junho a cidade não registrou chuvas significativas. Até as 7h desta segunda, São Paulo havia registrado 170,9 mm, isto é, nos últimos 20 dias a cidade acumulou apenas 3,1 mm.

A previsão para reta final de junho, segundo o meteorologista Adilson Nazário, é de tempo seco, baixa umidade relativa do ar e surgimento de névoa seca na cidade. Com isso, São Paulo ganha um aspecto acinzentado no céu devido a condensação de vapor de água, associado com a poeira, fumaça e outros poluentes. O que os meteorologistas chamam de névoa seca, comum nos dias frios de inverno.

Os próximos dias serão mais ensolarados, com maior predomínio de sol, declínio dos índices de umidade do ar e madrugadas com temperaturas um pouco mais elevadas e ligeiramente acima da média para a estação.

Foto:  J.Duran Machfee/Folhapress