PT tentará adiar a sessão no Senado do impeachment nesta terça-feira

JULGAMENTO – Dentre os questionamentos que serão apresentados hoje, os senadores devem pedir algumas mudanças no rito da votação e a suspensão de alguns trâmites

A sessão da votação prévia do impeachment da presidente afastada, Dilma Rousseff, que acontecerá nesta terça (9), terá seu início marcado por vários questionamentos feitos pela oposição ao presidente interino, Michel Temer. Um deles será a tentativa de adiar a sessão.

Para o líder do PT no Senado, Humberto Costa (PT-PE), é um contrassenso que a petista vá a julgamento no momento em que o seu substituto é acusado de ter pedido “apoio financeiro” para o PMDB a Odebrecht, que teria repassado R$ 10 milhões em dinheiro vivo a integrantes do partido em 2014. A informação foi publicada pela revista “Veja” na edição deste sábado (6).

“Nós temos uma presidente julgada que poderá perder o seu mandato por ter editado três decretos de suplementação orçamentária e ter praticado o que eles chamam de pedaladas fiscais, enquanto o interino é acusado de propinas e caixa dois em valores tão elevados”, disse.

De acordo com Costa, os partidos de oposição apresentarão, pelo menos, 11 questões de ordem no início da sessão, o que pode tomar cerca de três horas do processo de votação, estimado para durar mais de 20 horas. Dentre os questionamentos, os senadores devem pedir algumas mudanças no rito da votação e a suspensão de alguns trâmites.