Além da China, Temer deve ir aos EUA e à Índia para buscar investimentos

NICOLA PAMPLONA
RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) – O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, disse que, depois da China, o presidente interino Michel Temer irá aos Estados Unidos e à Índia para buscar investimentos para o Brasil.
A primeira viagem, à China, está prevista para setembro e terá como objetivo atrair investimentos em infraestrutura e no setor de petróleo e gás, disse ele, em entrevista para falar sobre pesquisa de satisfação dos turistas que vieram à Olimpíada.
“O presidente Michel vai levar para a China uma mala de mascate para mostrar que o Brasil é um mar de oportunidades”, disse, quando questionado sobre a viagem por uma jornalista chinesa.
Segundo ele, a mala terá projetos de ferrovias, como a transoceânica -negociada ainda pelo governo Dilma Rousseff-, que ligaria o Brasil ao oceano Pacífico.
Depois da China, a lista de viagens internacionais terá os Estados Unidos e a Índia, dois “gigantes” globais.
Na entrevista, Padilha enumerou algumas medidas adotadas pelo governo interino com o objetivo de “melhorar a segurança jurídica” para o investidor, entre elas o projeto de lei das agências reguladoras, que propõe limitar a interferência política na indicação de dirigentes.
“Neste momento, estamos necessitando de parceiros para gerar empregos”, concluiu.