Greve dos bancários fecha agências em São Paulo

TÁSSIA KASTNER
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – A greve nacional dos bancários começou com a maior parte das agências da avenida Paulista fechada, mas com quase nenhum transtorno aos correntistas de São Paulo. Sem acesso ao atendimento presencial, clientes utilizavam normalmente as salas de autoatendimento na manhã desta terça-feira. É possível ainda utilizar serviços dos bancos pelo internet banking, celular e por atendimento telefônico.
A reportagem encontrou algumas agências funcionando na região. Na agência do Banco do Brasil na esquina com a Bela Cintra, havia atendimento de gerentes, mas os caixas estavam fechados. As agências Estilo (para clientes com renda acima de R$ 9.000) também atendiam normalmente, “até que o sindicato mandasse fechar”, disseram recepcionistas. Correntistas do banco gaúcho Banrisul encontraram portas abertas.
O balanço de adesão à greve será divulgado pelo sindicato dos bancários no final do dia.
Em comunicado, o sindicato dos bancários de São Paulo afirma que a greve começou pelas centrais de telemarketing e atendimento aos clientes.
A paralisação em todo o país por tempo indeterminado foi decidida pela categoria na semana passada. Bancários reivindicam reajuste salarial de 5% além de reposição da inflação no período (9,57%). Os bancos oferecem aumento de 6,5% sobre o salário e benefícios -como vale­-alimentação e auxílio­-creche-, além de abono no valor de R$ 3.000.
Segundo a Contraf (confederação que representa trabalhadores do ramo financeiro), a greve foi aprovada pelos cerca de 140 sindicatos vinculados à federação.
A última greve nacional dos bancários aconteceu em outubro de 2015 e durou 21 dias. A categoria conseguiu um reajuste de 10%, com aumento real de 0,11%.

 

Veja como utilizar os serviços bancários enquanto as agências estiverem fechadas:
1 – Pagar contas
O cliente do banco pode utilizar internet banking e aplicativos para celular do banco para efetuar o pagamento. Para isso, confira se as senhas os aplicativos estão funcionando e vá a agências ainda não paralisadas para atualizá-las. Os caixas eletrônicos e correspondentes bancários, como agências lotéricas, Correios e até alguns supermercados também recebem pagamentos de contas
Em caso de dificuldade, o cliente pode entrar em contato com a empresa e pedir alternativas para realizar o pagamento. É importante registrar o pedido, enviando por e-mail ou anotando o número de protocolo de atendimento. Caso o fornecedor não dê opções para pagar a conta, o consumidor deve usar esses documentos para reclamar junto a um órgão de defesa do consumidor.
2 – Transferências de dinheiro
É possível fazer por internet banking, celular, caixa eletrônico e atendimento por telefone.
Atenção: os valores das transferências podem ser limitados por esses canais, dependendo do seu perfil de renda e padrão de gastos. Se existe a previsão de uma transferência nos próximos dias, procure uma agência que ainda esteja funcionando
3 – Investimentos e resgates
Também podem ser feitos por internet, aplicativo, caixa eletrônico e central de atendimento por telefone. Seja qual for o canal de atendimento, lembre-se de pesquisar o rendimento oferecido e as taxas cobradas para aplicar ou resgatar o dinheiro aplicado
4 – Empréstimos e financiamentos
Os bancos também oferecem crédito pessoal em condições pré-aprovadas nas plataformas de atendimento eletrônico. Lembre-se, no entanto, que as taxas nessas modalidades costumam ser altas e devem ser usadas apenas em emergências.
Para quem precisa renegociar dívidas, os grandes bancos oferecem plataformas de renegociação sem atendimento ou então permitem o envio de propostas pela internet.
A documentação para financiamento imobiliário é entregue na agência. Esse tipo de crédito tende a ficar suspenso durante a greve.

Único jornal diário gratuito no metrô