Sessão da CPI da Merenda com Capez tem tumulto e spray de pimenta

REYNALDO TUROLLO JR.
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – A sessão da CPI da Merenda na Assembleia Legislativa de São Paulo desta quarta-feira (14), que estava marcada para as 9h com o depoimento do presidente da Casa, Fernando Capez (PSDB), e de dois ex-assessores dele, atrasou por causa de um protesto de dezenas de estudantes que querem assistir à reunião.
O protesto teve confusão e uso de spray de pimenta por policiais militares nos corredores da Assembleia. Segundo manifestantes e jornalistas, ao menos um jovem passou mal.
Às 9h40, os alunos bloqueavam o acesso ao plenário onde está prevista para ser realizada a sessão da CPI. Eles querem que o presidente da comissão, Marcos Zerbini (PSDB), transfira os depoimentos para um plenário maior, onde mais pessoas possam entrar.
Deputados e jornalistas estão sem acesso à sala.
“Se eu não entro ninguém entra”, gritam os estudantes. “Capez, ladrão, tem que ir pra prisão”, complementam.
O deputado Capez, que deve ser o terceiro a depor, é suspeito de envolvimento no suposto esquema de fraudes e pagamentos de propina investigado pela Operação Alba Branca, da polícia e do Ministério Público.