Líder de movimento negro em São Paulo tucano critica proposta de Doria

PAULA REVERBEL
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – O presidente do Tucanafro de São Paulo, Eloi Estrela, que lidera a militância negra do PSDB municipal, criticou a proposta do candidato de seu partido à Prefeitura de SP, João Doria, de extinguir a Secretaria Municipal de Promoção da Igualdade Racial.
“Negro nenhum vai estar satisfeito com a dissolvência de uma Secretaria de Igualdade Racial”, afirmou.
No início da campanha oficial, Doria disse que, se eleito, reduziria de 27 para 20 secretarias da administração pública. As pastas voltadas a mulheres, negros e pessoas com deficiência seriam alvo de corte. Também foram citadas secretarias voltadas à juventude e à comunidade LGBT, que não existem na atual gestão.
Depois de crítica da deputada federal Mara Gabrili (PSDB-SP), Doria voltou atrás da proposta de extinguir a Secretaria de Pessoa com Deficiência, mas disse que as secretarias de Políticas para Mulheres e Igualdade Racial deixarão de existir para serem incorporadas pela pasta de Assistência Social.
“Não é só o João Doria, é qualquer um”, explicou o presidente do Tucanafro. “Não estou contra o João Doria, sou contra qualquer um que queira destruir o que foi conquistado pelo negro”, concluiu.
Estrela também fez uma crítica ao governo estadual: “Graças a Deus, São Paulo, o município, ainda tem Secretaria de Igualdade Racial, porque o Estado não tem.” O governo é administrado pelo também tucano Geraldo Alckmin, padrinho político de Doria.
Procurada, a assessoria de imprensa da campanha de João Doria afirmou que as propostas de governo do candidato tucano são dinâmicas e estão sujeitas a alteração a partir da reação da sociedade. A campanha também disse que a decisão de extinguir ou manter secretarias merece estudo e que o plano de governo foi feito com a sugestão de cem pessoas de diversas áreas, incluindo mulheres, negros e pessoas portadoras de deficiência.