Sondado por Doria para Cultura, Boni se diz ‘encantado’ e pondera convite

Um dos maiores executivos de televisão no país, José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni, foi convidado por João Doria (PSDB) para assumir a Secretaria de Cultura em sua gestão. Ambos conversaram na segunda-feira (24).
“Fiquei encantado pelo convite, mas preciso consultar as bases”, afirma o empresário à Folha de S.Paulo. O convite foi antecipado nesta terça (25) pelo jornal “O Globo”. Boni, 80, foi vice-presidente de produção e programação da Globo e, posteriormente, vice-presidente de operações.
Embora tenha um apartamento em São Paulo e comande desde 2003 a TV Vanguarda, afiliada da Globo na região de São José dos Campos, Boni e sua família residem no Rio. Além disso, ele diz precisar refletir sobre a viabilidade do cargo entre seus outros compromissos.
O projeto para a Cultura que Doria lhe apresentou ao formalizar o convite é algo “que há muito tempo falta em São Paulo, desde o Mendonça”.
Atual presidente da Fundação Padre Anchieta, que administra a TV Cultura, o ex-deputado Marcos Mendonça (PSDB) foi secretário estadual de Cultura de 1995 a 2002 e vereador em São Paulo, de 1983 a 1994. Em 1990, criou a Lei Mendonça, que prevê isenção fiscal no município a patrocinadores de projetos culturais. A emissora pública paulista negociou um programa de entrevistas para Doria no ano passado -o prefeito eleito apresentava os talk shows “Show Business” (Band) e “Face a Face” (Band News).
Boni, porém, preferiu não dar mais detalhes sobre os projetos de Doria para a Cultura: “Eles serão conhecidos depois”.
Em seu programa de governo, Doria prometia criar Conselhos de Cultura nas prefeituras regionais, instituir o Prêmio São Paulo Amiga da Leitura e criar o Centro da Memória da Dramaturgia Brasileira, além de descentralizar a Virada Cultural, integrando o evento às Fábricas de Cultura, administradas pelo Estado.
Em entrevista à Folha de S.Paulo durante a campanha, o prefeito eleito disse que pretendia firmar mais parcerias com as Fábricas de Cultura e desenvolver as Ruas Musicais de São Paulo, dedicadas a diferentes estilos de música brasileira em diferentes bairros da cidade.
Atualmente, a secretaria de Cultura é administrada por Maria do Rosário Ramalho. Funcionária de carreira da prefeitura, Rosário era secretária-adjunta de Nabil Bonduki, que deixou o cargo em abril deste ano para disputar a eleição a vereador em São Paulo.

GABRIELA SÁ PESSOA
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS)

Foto: Zanone Fraissat/Folhapress

Único jornal diário gratuito no metrô