Brasil tem 22,9 milhões que poderiam estar trabalhando, diz pesquisa IBGE

SÃ?O PAULO, SP, 22.11.2016-DESEMPREGO-funcionario de agencia de empregos cola cartazes com ofertas em poste de iluminacao na rua Barao de Itapetininga no centro de Sao Paulo nesta tarde de terca feira(23). (Foto: Dario Oliveira/Codigo19/Folhapress)

static_qr_code_without_logo

O país tem 22,9 milhões de pessoas que poderiam estar trabalhando, mas que estão fora do mercado. É o que indica o complemento da Pnad Contínua, pesquisa oficial de emprego do IBGE, referente ao terceiro trimestre deste ano.

A pesquisa, divulgada nesta terça-feira (22), mostrou que há quantidade grande de pessoas na chamada subutilização da força de trabalho, composta pelos desempregados em busca de emprego e pessoas que estão em idade produtiva, mas não estão trabalhando por motivos diversos.

De acordo com a pesquisa, a taxa de subutilização da força de trabalho encerrou o terceiro trimestre deste ano em 21,2%. Isso significa que faltou emprego para 21,2% das pessoas em idade produtiva no país. No segundo trimestre, a taxa era de 20,9%. No terceiro trimestre de 2015, a taxa esteve em 18%, ou seja, 3,2 pontos percentuais mais baixa do que o verificado nos três meses encerrados em setembro deste ano.

Os dados divulgados nesta terça-feira são um complemento da taxa de desemprego do terceiro trimestre, divulgada em 27 de outubro. Na ocasião, o instituto reportou taxa de desemprego de 11,8%, com 12 milhões de brasileiros sem trabalho. No trimestre encerrado em setembro, a taxa esteve em 8,9%.

Único jornal diário gratuito no metrô