“A Cidade dos Rios Invisíveis” traz vivência poética e realista durante viagem na CPTM

Poético e realista, o espetáculo “A Cidade dos Rios Invisíveis”, do Coletivo Estopô Balaio, traz para a capital paulista, de 8 a 30 deste mês, histórias, anseios e vivências de muitos que atravessam a cidade por meio dos trens da CPTM com destino ao Jardim Romano. Essa temporada tem apoio da 29ª edição do Fomento ao Teatro da cidade de São Paulo.

As apresentações que acontecem na linha 12 – Safira da CPTM fazem um convite aos viajantes a embarcar numa viagem teatral da vida real. O percurso, que parte sempre da estação do Brás, às 14h, aos sábado e domingos, segue pelas ruas do bairro Jardim Romano até o córrego Três Pontes, um braço do rio Tietê. O espetáculo é gratuito.

A viagem teatral se inicia nos vagões do trem, onde os passageiros munidos por fones de ouvido e MP3, observam as paisagens através das janelas. Ao desembarcar, as intervenções artísticas – dança de rua, rap e performances – se entrelaçam com o cenário cotidiano dos moradores do bairro Jardim Romano e com as histórias dos grafites e das enchentes que assolaram o bairro. O público vivencia uma apresentação real, lúdica e única.

Criado pelo Coletivo Estopô Balaio, “A cidade dos Rios Invisíveis” é a última parte da “Trilogia das Águas.  As outras peças da sequência são “Daqui a Pouco o Peixe Pula” e “O Que Sobrou do Rio”.

Os ingressos são gratuitos, mas aos viajantes é necessário fazer uma reserva por e-mail ([email protected]) e pagar o valor da passagem. O ponto de encontro é o Espaço Cultural da Estação Brás. Com duração de 3h30, o espetáculo se finda sob o pôr-do-sol às margens do rio.