Guarujá vai tirar quiosques de areia de praia até o Natal

Turistas que escolherem como destino no verão a praia da Enseada, em Guarujá, no litoral paulista, vão se deparar com um novo cenário na faixa de areia. Isso porque a prefeitura iniciou, há uma semana, a demolição de todos os 93 quiosques na areia, por ordem da Justiça Federal.
A expectativa é remover todas essas construções até o Natal. Elas serão substituídas por 54 quiosques no calçadão. Os outros 39 donos, porém, vão perder suas tendas e ficarão sem espaço -quem quiser poderá virar ambulante.
“[Os quiosques] viraram verdadeiros restaurantes, com vazamento de esgoto na praia, com caixas de gordura também vazando”, disse Dirceu Marçal, secretário de Infraestrutura e Obras de Guarujá.
As estruturas, construídas no início da década de 1990, ficam em área federal e são alvos de Termo de Ajustamento de Conduta feito entre o município e a União em 2010.
Em 2014, a prefeitura chegou a iniciar a demolição, retirando quatro quiosques, mas parou os trabalhos devido a recursos. Na última semana, cinco foram retirados.
Os novos 54 quiosques no calçadão têm tamanhos reduzidos. Os permissionários foram selecionados com base em critérios como antiguidade, impostos em dia e moradia em Guarujá, além de ausência de multas ou dívidas. Dos 39 não contemplados, 12 vão atuar como ambulantes.
Em até 30 dias, a prefeitura deve regulamentar o número de mesas e cadeiras que poderão ser colocadas no calçadão e na faixa de areia, desta vez em menor número.
Dogival Lopes de Mendonça, 52, prepara o novo quiosque com menor número de freezeres devido ao espaço e diz que deve cortar funcionários. A moradora Edenice Oliveira, 53, afirma ouvir relatos de desespero de trabalhadores. “A tristeza está demais.”

(Folhapress)
Foto: Divulgação