Doria inaugura avenida recapeada com dinheiro de multas

O prefeito João Doria (PSDB) apresentou nesta quinta-feira (16) o recapeamento de asfalto de trecho da avenida Marechal Tito, em São Miguel Paulista, na zona leste de São Paulo. A novidade é que a obra é a primeira a ser custeada por meio de recursos arrecadados com multas de trânsito.
Em abril, a gestão Doria anunciou que passaria a utilizar verba do FMDT (Fundo Municipal de Desenvolvimento de Trânsito), alimentado pelo dinheiro das autuações, para recapear vias do município. Antes disso, a verba do fundo criado em 2007 era utilizada exclusivamente para investimentos em educação e segurança no trânsito.
À época, a Prefeitura de São Paulo estimou que conseguiria investir R$ 210 milhões de dinheiro de multas no programa Asfalto Novo, de recapeamento.
Em novembro de 2016, uma resolução do Contran (Conselho Nacional de Trânsito) passou a prever, entre as possibilidade de destinação dos recursos arrecadados com multas, “pavimentação, recapeamento, tapa-buracos e recomposição de pista e acostamentos”. Com esses recursos, segundo a prefeitura, será possível recapear mais 400 mil metros quadrados de vias.
Nove prefeituras regionais serão contempladas pelos recapeamentos: Guaianases, Itaim Paulista, Jaçanã/Tremembé, Pinheiros, Pirituba/Jaraguá, Santana, Santo Amaro, Sé e Vila Maria/Vila Guilherme. Ao todo, 23 vias deverão ser recapeadas.
O secretário de Prefeituras Regionais Cláudio Carvalho afirmou que as obras do programa têm “oito anos de garantia de qualidade técnica atestada pelos laboratórios”. Segundo Doria, o resultado será acompanhado. “É um asfalto com controle de qualidade que infelizmente antes não havia. Mesmo nos programas de tapa-buracos, era um asfalto de péssima qualidade. O nível de exigência junto aos fornecedores subiu, há um controle técnico”, disse.

HISTÓRICO
Os buracos em ruas de São Paulo são motivo de pressão sobre Doria desde os primeiros meses do mandato.
Em julho, reportagem do “Agora” mostrou que pedidos de tapa-buraco subiram 39% no primeiro semestre. Recentemente, outra reportagem do “Agora” encontrou três falhas no asfalto a cada dois quilômetros de avenidas em São Paulo.
A prefeitura reduziu os serviço de tapa-buracos em dez prefeituras regionais, tendo chegado a suspender as atividades na Vila Prudente (zona leste) por “indisponibilidade orçamentária”.
Diante das reclamações e dos atrasos do município para atendê-las, a prefeitura anunciou em setembro uma ação relâmpago com a intenção de zerar a fila acumulada de pedidos de tapa-buraco no prazo de um mês.

(Folhapress)
Foto: Prefeitura São Paulo/Divulgação