Congresso argentino aprova reforma da Previdência em meio à greve geral

O Parlamento argentino aprovou na manhã desta terça-feira (19) a reforma da Previdência, apesar de uma greve geral e de uma série de protestos contra a medida.
Após mais de 12 horas de discussão que tomaram a madrugada, o projeto foi aprovada às 7h06 locais (8h06 de Brasília) com 128 votos a favor, 116 contrários e duas abstenções.
A aprovação é uma vitória do presidente Mauricio Macri, que fez da reforma uma duas prioridades de seu governo.
O projeto conseguiu o número suficiente de votos para ser aprovado após uma série de negociações entre o governo Macri e os governadores, a maior parte deles de oposição. As províncias aceitaram apoiar a medida após o Governo Federal prometer que elas receberam parte do dinheiro economizado com as aposentadorias.
O principal objetivo do projeto é mudar a forma como as pensões são calculadas, que atualmente levam em conta um conjunto de índices reajustados semestralmente. A proposta do governo é que o cálculo se baseie apenas na inflação e seja trimestral.
A aprovação acontece um dia após uma série de confrontos entre a polícia e manifestantes contrários a proposta de reforma. Mais de 60 pessoas foram detidas na segundo-feira (19) por participarem dos atos, que terminou com quase cem feridos.

(Folhapress)
Foto: AP Photo/Victor R. Caivano