Chuva atrasa obra de ciclovia da Marginal do Pinheiros; trecho permanece fechado

Guilherme Lara/ A2 Fotografia

As chuvas que atingiram a cidade de São Paulo nos últimos dois dias atrasaram o cronograma de obras de reparo na ciclovia da Marginal do Pinheiros. Por isso, o trecho entre as Estações Cidade Universitária e Villa Lobos-Jaguaré, na zona oeste da capital, permanecerá fechado por tempo indeterminado, até que as condições climáticas melhorem e as obras possam ser concluídas.

A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) informou que, pela programação inicial, a Empresa Metropolitana de Águas e Energia (Emae) previa finalizar nesta sexta-feira, 29, a execução de reparos no talude e na pista da Ciclofaixa Rio Pinheiros.

No domingo, 1º, a Emae também interditará outro ponto da ciclofaixa, entre a Ponte João Dias e a Estação Granja Julieta, na zona sul, para recuperação de outro talude. A previsão de conclusão dessas intervenções é de dois meses e meio.

“A interrupção do tráfego de ciclistas é uma medida de segurança, já que no local serão utilizados máquinas e equipamentos pesados para a execução dos serviços”, afirmou, em nota, a CPTM.

A companhia explicou que os sete acessos à ciclovia permanecerão abertos. São eles:

– Avenida Miguel Yunes, 620

– Estação Jurubatuba

– Estação Santo Amaro

– Estação Vila Olímpia

– Estação Cidade Universitária

– Ciclopassarela da Prefeitura de São Paulo nas proximidades do Parque do Povo

– Escada da Ponte Cidade Jardim

Pista provisória

As obras da Linha 17-Ouro, da Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô), provocaram o fechamento de um trecho de 4,5 quilômetros da ciclovia, entre as Estações Vila Olímpia e Granja Julieta, na zona sul.

Para atender aos ciclistas, o Metrô implantou uma via alternativa do outro lado da Marginal do Pinheiros, com acesso pela Ponte Cidade Jardim e transposição pela Ponte João Dias. O funcionamento da ciclofaixa é das 5h30 às 18h30, todos os dias, incluindo fins de semana e feriados.