Câncer de próstata em cães pode ser diagnosticado precocemente com ida periódica ao veterinário

Foto: Matheus Campos

O câncer de próstata em cães e gatos não é tão frequente como acontece no homem. De acordo com o Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), o câncer de próstata incide com mais frequência os cães do que gatos e é mais comum em animais a partir de 6 ou 7 anos de idade. Gatos também podem desenvolver a doença, mas é raro.

De acordo com a Dra. Clarisse Teixeira, especializada em Oncologia, estudos sugerem que machos não castrados são mais predispostos ao desenvolvimento desse tipo de neoplasia.

“Pesquisas indicam que a ocorrência de câncer de próstata em machos castrados é reduzida, enquanto não castrados, e inclusive cães com comportamento biológico agressivo, a incidência é maior, podendo apresentar metástases em linfonodos que se situam na região da próstata, pulmões e ossos”, frisa.

Clarisse observa ainda que algumas afecções podem levar ao desenvolvimento de neoplasias prostáticas, como por exemplo, hiperplasia prostática benigna, prostatites e cistos. Para a hiperplasia prostática benigna a prevenção e o tratamento consistem na castração.

A Dra. Daniela Formaggio, também especializada em Oncologia, destaca que o diagnóstico precoce aumenta consideravelmente as chances de cura. “Visitas periódicas ao médico-veterinário, com a realização de exames de imagem e de sangue de forma preventiva, podem fazer toda diferença para a descoberta do tumor ainda no seu início, o que facilita o tratamento e aumenta as chances de restabelecimento”, afirma.

Dra. Clarisse completa: “Mesmo castrados, cães e gatos podem desenvolver câncer de próstata, por isso, idas frequentes ao veterinário são essenciais, principalmente em animais acima de 5 anos de idade”.

De olho nos sinais

Os tutores de cães devem ficar atentos a alguns sintomas que indicam que a próstata do animal pode estar com problemas. Entre eles estão dificuldade para urinar ou defecar, perda do apetite, urina com sangue e fezes em formato irregular.

A Dra. Daniela ressalta que, em estágios mais avançados da doença, devido a presença de metástases, pode-se notar dificuldade de locomoção, por conta da compressão da medula espinal e em ossos como fêmur e tíbia e, em casos de metástase pulmonar, o animal pode apresentar intolerância ao exercício e dificuldade respiratória.

Tratamentos

Os tratamentos para o câncer de próstata, de acordo com as especialistas do Hospital Veterinário Taquaral, consistem em excisão cirúrgica da próstata, radioterapia transcirúrgica e quimioterapia, todos conduzidos por médicos-veterinários.

Dra. Clarisse salienta que a imunoterapia tem sido empregada como terapia a neoplasias de próstata em humanos e utilizada no tratamento de adenocarcinoma prostático em cães.

“Infelizmente, o prognóstico ruim desta afecção pode ser atribuído, em parte, ao diagnóstico tardio. Geralmente já há ocorrência de metástases quando o animal é levado ao consultório. Por isso, grande parte do tratamento utiliza drogas visando manter o máximo de tempo possível a qualidade de vida do animal”, enfatiza a doutora.