Enfermagem em Neurologia: aluna da UNIP Sorocaba conquista única vaga para especialização no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP

Marina Terra Manoel (22), concluinte do curso de Enfermagem da UNIP, campus Sorocaba, foi aprovada em 1º lugar no Programa de Bolsas para Especialização Lato Sensu em Enfermagem em Neurologia, do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Havia somente uma vaga, e essa vaga foi dela.

Marina concluiu sua graduação na UNIP em dezembro de 2021, mas antes já se inscreveu no concurso para a obtenção da bolsa de estudos. Promovido pela Fundação Vunesp, o certame avaliou os participantes por meio de uma entrevista – no caso de Marina, entrevista com enfermeiras – e de duas provas: uma Objetiva, que cobrava o conteúdo aprendido na universidade, e uma Específica, do próprio Hospital das Clínicas. “Quando soube do resultado tive um misto de sentimentos: felicidade, surpresa e dificuldade em acreditar que realmente eu havia conseguido, visto que havia somente uma vaga”, explica.

Singular também foi a forma como a jovem enfermeira descobriu sua vocação: conversando com seu professor de Sociologia – que também tinha formação em História – na 3ª série do Ensino Médio. Ao perguntar-lhe sobre qual carreira para ele se associava ao bem-estar das pessoas, imediatamente ele respondeu: “Te vejo trabalhando em um hospital”. Ali foi o ponto de partida para que Marina encontrasse a profissão que lhe faria feliz. “Eu nunca tinha me imaginado sob essa perspectiva, mal sabia o que uma enfermeira realmente fazia. Fui em busca de conhecer as atribuições, os campos de atuação, como era a graduação e as matérias nela contida. E nas minhas pesquisas eu me apaixonei gradativamente e vi que tudo fazia sentido”, conta emocionada.

Aos 17 anos, Marina prestou o Enem e, pelo Sisu, conquistou vaga para estudar na Universidade Federal no Paraná. Também com a nota do Exame se inscreveu na UNIP, obtendo 55% de desconto, e foi a Universidade Paulista a sua opção. Marina conta que sua passagem pela instituição foi de muito aprendizado na área académica e também interpessoal. “Pude aprender muito com enfermeiras incríveis, cada uma a seu modo”. No 3° ano, ela começou a estagiar e realizar acompanhamento hospitalar e prestar cuidados domiciliares; no 4° e último ano, somaram-se, à essas atividades, as aulas e uma disciplina rígida de estudo complementar, que envolvia treino por meio de questões de concursos e leituras extras. As manhãs de sábado também não escapavam desta rotina. Atualmente, Marina dá aulas em uma escola para técnicos e auxiliares de Enfermagem.

A quem está começando ela sinaliza: “Estude o que você aprendeu na aula no mesmo dia, porque isso fixa o conteúdo; não perca tempo com discussões que não produzirão bons frutos; dedique-se, invista seu tempo nas tarefas que exigem e merecem realmente a sua energia. Você ficará ansioso e às vezes desesperado, pensando que não vai conseguir ou que não vai poder, mas você pode, você consegue. As circunstâncias não te definem, as situações não podem te parar, faça delas incentivo para continuar. A vitória vai ser muito mais saborosa assim”, conclui.​