Ação da PM Ambiental e Ministério Publico fecha 18 fábricas de balões em SP

Único jornal diário gratuito no metrô

O trabalho em conjunto da Polícia Militar Ambiental e do Ministério Público resultou em 18 fábricas clandestinas de balões fechadas e quase 17 mil quilômetros de lineares vistoriados. A Operação Huracan foi realizada entre quinta (23) e sexta-feira (24) em todo o estado de São Paulo, com o objetivo de prevenir incêndios florestais e reprimir a fabricação ilegal de balões.

A ação contou com 450 policiais que seguiram um planejamento estratégico, justamente no período de pré-estiagem. Dos quilômetros de lineares vistoriados, pelo menos 2,8 mil estavam irregulares. Além disso, 630 focos de queimada e 498 propriedades rurais também foram fiscalizados pelas equipes.

Na ação, 19 balões prontos foram apreendidos. Os agentes aplicaram mais de R$ 200 mil em multas para os infratores durante os dois dias de operação.

As vistorias também foram feitas em 134 mil hectares da área monitorada com imagens de satélites e 51 mil hectares de região cultivada com cana-de-açúcar.

As equipes contaram com efetivos dos cinco batalhões da PM ambiental e promotores de Justiça também percorreram trechos de aceiros, margens de rodovias e zonas de unidades de conservação para garantir a proteção das áreas naturais e evitar a propagação de incêndios.

Conforme a corporação, as multas aplicadas visam reforçar o compromisso com a legislação ambiental e a segurança. “A colaboração da população, que desempenhou um papel crucial ao denunciar atividades suspeitas, foi de extrema relevância para o resultado da operação”, informou a PM.