SP já tem mais casos de dengue do que todo o País relatou em 2023

Único jornal diário gratuito no metrô

Ontem, o Estado de São Paulo atingiu 1.653 356 de casos prováveis de dengue desde janeiro de 2024, segundo o Painel de Monitoramento de Arboviroses do Ministério da Saúde. O número é quase seis vezes a quantidade de registros da doença no Estado em 2023 e já superou o total de casos no Brasil inteiro no ano passado, que foi de 1.649.144.

Em uma crescente de casos desde o início do ano, São Paulo já ultrapassou Minas e é o Estado que mais acumula registros da doença em todo o País. Até o momento, 988 pessoas morreram no Estado e 1.191 óbitos estão sob investigação.

Em 18 de março, o Brasil atingiu o maior número de casos de dengue da história. Com 1.899.206 de casos notificados à época, o País superou o recorde anterior, estabelecido em 2015, quando 1.688.688 de casos foram confirmados. Hoje, quase três meses depois, já são 5.655.043 de casos prováveis em território nacional, além de 3.497 óbitos confirmados e 2.856 mortes em investigação.

PREVENÇÃO. A eliminação de criadouros de mosquitos continua a ser uma das melhores maneiras de evitar a doença. Para isso, é preciso eliminar a água que fica parada em recipientes como vasos de plantas, pneus, garrafas plásticas e piscinas sem uso. Também valem métodos físicos, como uso de roupas claras, mosquiteiros e repelentes, especialmente aqueles à base de icaridina, DEET e IR3535, com duração superior em comparação com outros tipos.

A vacinação contra a doença também é outra medida importante. Fabricada pela farmacêutica japonesa Takeda, a vacina Qdenga foi aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em março de 2023 e desde dezembro foi incorporada ao Sistema Único de Saúde (SUS), para uso em adolescentes.