Share
Flamengo vira no final e segue na cola do Palmeiras

Flamengo vira no final e segue na cola do Palmeiras

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) – O Flamengo chegou a levar um susto do Cruzeiro neste domingo, no Kléber Andrade, em Cariacica (ES), mas conseguiu a virada e bateu o time mineiro por 2 a 1, em partida válida pela 27ª rodada do Campeonato Brasileiro.
Consequentemente, a equipe de Zé Ricardo manteve a perseguição ao líder Palmeiras, que já havia vencido o Coritiba por 2 a 1 no sábado. Os gols foram marcados por Rafinha, aos 29 minutos do segundo tempo, Guerrero, aos 38, e Mancuello aos 42.
O resultado mantém o time rubro-negro na vice-liderança, agora com 53 pontos, um a menos que o Palmeiras. Já a preocupação do Cruzeiro é outra: o clube está na zona de rebaixamento, com 30 pontos, e é o primeiro do grupo de descenso.
A equipe carioca volta a campo no próximo sábado, às 16h (de Brasília), quando visita no Morumbi o instável São Paulo, derrotado pelo Vitória neste domingo e ainda ameaçado. Já o Cruzeiro recebe o Grêmio no Mineirão às 18h30.
Pressão rubro-negra
O Flamengo não deu sossego ao Cruzeiro no primeiro tempo. Antes mesmo do primeiro minuto, o time de Zé Ricardo já havia chegado ao ataque perigosamente com tabela entre Gabriel e Diego, que acabou derrubado por Robinho. O sufoco inicial ainda resultaria em mais oportunidades, como o chute de Réver que sobrou nos pés de Guerrero. Com o pé de apoio na linha da grande área, o peruano exigiu boa defesa de Rafael para levantar de vez a torcida flamenguista em Cariacica.
Robinho admite: não foi pênalti
Os jogadores de Sidnei Lobo, que substituiu o suspenso Mano Menezes, ficaram menos tempo com a bola no pé -o Flamengo chegou a ter 65% de posse-, mas conseguiram construir algumas oportunidades. A maioria das jogadas buscava Ábila no ataque: na primeira delas, Muralha fez defesa segura; aos quatro, o argentino não conseguiu o domínio; na marca dos 25, Robinho cruzou forte demais em busca do atacante. O lance se inverteu aos 33, quando Ábila acionou o meia, que a princípio alegou ter sido derrubado por Rafael Vaz. O árbitro Leandro Vuaden não viu pênalti.
“Eu pulei. Deveria ter tentado seguir na jogada, pois talvez pudesse ter sido pênalti mesmo”, admitiu o próprio Robinho ao Premiere na saída para o intervalo.
Bicicleta peruana
Guerrero não se deslocou muito em busca da bola, mas seu bom posicionamento garantiu algumas chances ao Flamengo. Como a bonita bicicleta que deu aos 22 minutos do primeiro, após cruzamento de Pará pela direita. O peruano deu um leve toque para parar a bola e já emendou uma forte bicicleta para a defesa de Rafael.
O motor pela esquerda
Jorge já executava bom trabalho na marcação, desarmando o time do Cruzeiro repetidamente, quando decidiu se arriscar no ataque. Aos 14 do primeiro tempo, recebeu passe de Márcio Araújo na intermediária e tentou o chute de longa distância. A bola subiu demais e não exigiu intervenção de Rafael, mas a jogada provou a liberdade que o lateral-esquerdo do Flamengo tinha pelo campo.
Arrascaeta tenta
Quando o relógio já marcava 28 minutos, o uruguaio carregou a bola na entrada da área e arriscou o chute de pé direito, no cantinho. A bola ainda quicou no caminho e exigiu que Muralha defendesse em dois tempos, cedendo escanteio. Cinco minutos depois, o camisa 10 desconcertou dois adversários com uma única matada no peito. Mesmo assim, Arrascaeta foi alvo da impaciência da torcida celeste e acabou substituído pelo autor do gol Rafinha.
Mesmo sob constante pressão, Cruzeiro chegou a abrir o placar com Ábila na etapa inicial. Mas o argentino estava à frente dos adversários quando foi acionado por Ezequiel, fazendo com que Vuaden invalidasse seu chute rasteiro.
Segundo tempo travado
Ao contrário do que se viu nos primeiros 45 minutos, a etapa complementar trouxe duas equipes menos incisivas. Do lado rubro-negro, Everton cabeceou mal e não incomodou Rafael. Pelo Cruzeiro, Robinho finalizou à direita da meta defendida por Muralha.
Susto cruzeirense
Depois de segurar as investidas do Flamengo com eficiência, o Cruzeiro enfim conseguiu o resultado aos 29 minutos do segundo tempo. Em rápido contra-ataque, Robinho acionou Rafinha e viu o camisa 70 carregar pela meia esquerda, diante de Réver e Pará, e arriscar uma bomba da entrada da área. A bola acertou o ângulo do gol de Muralha.
Insistência e virada
O Flamengo tanto martelou que conseguiu. Aos 3 minutos, Guerrero foi acionado por Alan Patrick na entrada da área e viu a bola desviar em Bruno Rodrigo antes de balançar a rede de Rafael, que não conseguiu impedir o empate rubro-negro. Aos 42 minutos, Mancuello também recebeu passe de Alan Patrick e, livre, tocou no ângulo do goleiro celeste, garantindo a virada e a perseguição ao líder Palmeiras.

FLAMENGO
Alex Muralha; Pará, Réver, Rafael Vaz e Jorge; Marcio Araújo (Mancuello), Willian Arão e Diego; Everton (Alan Patrick), Gabriel (Fernandinho) e Guerrero. T.: Zé Ricardo
CRUZEIRO:
Rafael; Ezequiel, Manoel, Bruno Rodrigo e Edimar; Henrique, Lucas Romero (Ariel Cabral), Robinho, Arrascaeta (Rafinha); Rafael Sobis (Élber) e Ábila. T.: Sidnei Lobo (substituindo Mano Menezes)
Estádio: Kléber Andrade, em Cariacica (ES)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)
Auxiliares: Leirson Peng Martins e Lucio Beiersdof Flor (ambos do RS)
Cartões amarelos: Pará (F); Rafael Sobis (C)
Gol: Rafinha, aos 29min, Guerrero, aos 38min, e Mancuello, aos 42min do segundo tempo

Deixe seu Comentário