Share
Radar camuflado em caixa de metal é aposentado pela Prefeitura de SP

Radar camuflado em caixa de metal é aposentado pela Prefeitura de SP

A gestão João Doria (PSDB) decidiu aposentar um tipo de radar de fiscalização do trânsito que ficava camuflado em caixotes de metal ou concreto e que era chamado por opositores de “radar-pegadinha”. Os aparelhos, implantados em 2015, na gestão Fernando Haddad (PT), foram alvo de críticas por ficarem escondidos, dificultando sua identificação pelos motoristas.

A administração petista defendia esse modelo sob a justificativa de que ajudava a evitar atos de vandalismo.

Segundo a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), a substituição valerá para os 19 radares móveis até então utilizados na fiscalização de 80 pontos na cidade. Por outro lado, a gestão Doria estuda colocar novos radares em locais onde haja registros de atropelamentos e de acidentes graves.

O secretário Sérgio Avelleda (Transportes) disse que isso não significa necessariamente uma ampliação de equipamentos, mas que os paulistanos “evidentemente” compreendem a necessidade de implantar novos radares. “A administração quer que não tenha multa, mas não pode deixar de fiscalizar.” Em janeiro e fevereiro, as multas caíram 13,4% em relação a igual período de 2016.

A aposentadoria do radar camuflado foi oficializada nesta quarta (17) em portaria do “Diário Oficial” da Cidade. Um dos principais opositores desses equipamentos foi Camilo Cristófaro, que se elegeu vereador pelo PSB tendo como bandeira de campanha os questionamentos aos aparelhos campeões de multa. Cristófaro gravou vídeos na internet nos últimos dois anos para criticar os radares.

“É o fim de uma prática maldita”, disse ele nesta quarta, quando divulgou na internet um enterro simbólico de um dos equipamentos.

Recentemente, a CET havia reforçado a sinalização do aparelho, na esquina da pista local da marginal Tietê com a rua Amazonas Silva. Segundo CET, a mudança é “parte do trabalho permanente de identificar e sinalizar os radares que mais multam”, além de “reforçar a sinalização e informar o motorista sobre as regras de trânsito”.

Deixe seu Comentário