Share
Prefeitura cassa alvará do maior shopping  de comércio popular da rua 25 de Março

Prefeitura cassa alvará do maior shopping de comércio popular da rua 25 de Março

A Prefeitura de São Paulo anunciou nesta segunda-feira (11) que cassou o alvará de funcionamento do Shopping 25 de Março, maior empreendimento do tipo na região da rua 25 de março, principal polo de comércio popular do país. Ao todo, foram apreendidos produtos avaliados em R$ 300 milhões.

A cassação do alvará foi anunciada pelo vice-prefeito, Bruno Covas (PSDB), segundo o qual o estabelecimento será emparedado assim que as mais de 800 toneladas de mercadorias irregulares foram retiradas.

“Não dá para tirar 800 toneladas de mercadorias da noite para o dia”, afirmou o tucano, justificando o porquê de a administração não lacrar (ou emparedar) o shopping. Ainda de acordo com o vice-prefeito, foram apreendidos, também, “papeis e computadores para se identificar quem são os reais beneficiários” do comércio irregular no estabelecimento.

A ação acontece em meio a uma megaoperação da Receita Federal, batizada de “Operação Setembro”, de fiscalização de comércio ilícito em São Paulo. A ação, com apoio do Ministério Público, da Prefeitura de São Paulo e da GCM (Guarda Civil Metropolitana), é a maior já deflagrada pelo órgão no Estado para combater a venda de produtos introduzidos ilegalmente no país. A Receita usou um helicóptero, que sobrevoou a 25 de Março durante a ação.

Só no Shopping 25, que abriga cerca de 900 lojistas, a Receita estima uma apreensão de produtos avaliada em R$ 300 milhões. A operação foi solicitada pela Receita Federal em conjunto com a Procuradoria da República em São Paulo e autorizada pela Justiça Federal.

A região da 25, para a Receita, operaria como centro de onde saem mercadorias irregulares que abastecem todo o país, o que pode gerar um prejuízo de bilhões de reais por ano com sonegação. A irregularidade também gera outros reflexos como lavagem de dinheiro, corrupção, escravidão e até danos à saúde pública.

Participam da ação 25 auditores fiscais e 80 analistas tributários da Receita, além de cem guardas civis metropolitanos. A expectativa da Receita é que a operação se estenda até o final deste mês.

Deixe seu Comentário