Share
Caminhão com bebidas tomba e mata  adolescente a caminho da escola na ZN

Caminhão com bebidas tomba e mata adolescente a caminho da escola na ZN

“Olha o caminhão”, gritou uma das outras três adolescentes que aguardavam na calçada o sinal de pedestres abrir. A estudante Julia Maria Firmino, 13, não teve tempo de reagir. Foi atingida pela carroceria de um caminhão de refrigerantes que tombou na calçada após atingir um veículo. Ela não resistiu e morreu na hora.

Pouco tempo depois, o pai de Julia chegou e viu a menina sem vida. Segundo testemunhas, ele reconheceu o corpo da filha, lhe deu um beijo na testa e desabou a chorar. O pai levou Julia de carro para a escola, mas a deixou a poucos metros, no outro lado da avenida – onde ela foi atingida. As meninas, Taissa Munhoz, 14, Isabela de Oliveira, 14, e Isabela Vieira, 9, estavam a caminho da Escola de Ensino Fundamental Nany Benute, em Parada de Taipas, na zona norte, para mais um dia de aula.

No horário do acidente, por volta das 7h, a calçada em frente à escola costuma ter movimento grande de alunos, mas já fazia cerca de dez minutos que o portão estava aberto, então, quase nenhum chegou a ver a cena do acidente. As outras duas meninas tiveram ferimentos leves e foram levadas para o Hospital Geral de Taipas.

Médicos de um pronto-socorro particular que fica em frente chegaram a socorrer as vítimas. O motorista do caminhão, Lucas Mota, 22, foi medicado porque entrou em estado de choque, de acordo com sua mãe, Francisca Maria da Conceição. “Ele viu o rosto da menina. Caiu por cima dela quando a cabine do caminhão tombou.” Junto com outros dois ajudantes, o motorista tentou levantar a carroceria e algumas pessoas em volta chegaram a ameaçá-lo de linchamento.

 

 

Caminhão trafegava a 38 km/h, afirma perícia

 

Segundo depoimento de Mota à polícia, o carro parou bruscamente no sinal amarelo e ele não teve tempo de frear. Bateu na traseira do veículo e jogou o caminhão para a direita, quando a mercadoria tombou. O velocímetro do caminhão trafegava a 38 km/h no momento do acidente, abaixo do limite da via, de 50 km/h. Perícia atestou que os freios do veículo estavam funcionando bem.

O motorista também foi submetido ao teste do bafômetro, que deu negativo para a ingestão de bebida alcoólica. O caso foi registrado como acidente de trânsito e o motorista irá responder por homicídio culposo, quando não há intenção de matar, e lesão corporal culposa em relação às outras vítimas. Na escola, o clima era de tristeza. Na grade, um papel foi colado com a mensagem “Estamos de luto”.

Deixe seu Comentário