Enem tem aumento de 46% no uso do nome social por travestis e transexuais

PROVAS – Dividido em duas etapas, o exame será aplicado nos dias 5 e 6 de novembro; nas duas datas, os portões serão abertos às 12h e fechados às 13h (horário de Brasília)

O número de travestis e transexuais que usará o nome social no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) 2016 aumentou 46%, segundo o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais), ligado ao Ministério da Educação.

Ao todo, o ministério recebeu 8.627.194 inscritos para participar do exame, que acontece nos dias 5 e 6 de novembro. Desse total, o Inep recebeu 842 solicitações para uso do nome social, porém, apenas 406 tiveram a solicitação atendida. As demais, segundo o órgão, foram reprovadas por não enviar a documentação exigida. Na edição anterior, foram aprovadas 278 solicitações.

São Paulo foi o Estado com o maior número de aprovação com 180, seguido por Minas Gerais (37), Rio de Janeiro (35) e Paraná (25). Apenas os Estados do Acre e do Amazonas não tiveram nenhum pedido confirmado na edição deste ano. A possibilidade de uso do nome social ocorreu pela primeira vez em 2014, quando foram feitos 102 pedidos.

Para usar o nome social, o participante precisava fazer a inscrição no mesmo período que os demais candidatos. Depois, entre 1º de junho e 8 de junho, o pedido deveria ser formalizado pela internet, com o preenchimento de formulário e envio de foto recente e cópia de documento de identificação.