Haddad apoia Ceagesp privada na zona norte da capital paulista

ENTREPOSTO – Os 25 produtores e comerciantes de alimentos, que constituíram a empresa Nesp, apresentaram o projeto, por meio de uma Manifestação de Interesse Público

O prefeito Fernando Haddad (PT) recebeu nesta quarta-feira (13) uma proposta de comerciantes para construir um novo entreposto de abastecimento em Perus, na zona norte de São Paulo, como uma alternativa à Ceagesp, na Vila Leopoldina (zona oeste). Os 25 produtores e comerciantes de alimentos, que constituíram a empresa Nesp (Novo Entreposto de São Paulo), apresentaram o projeto, por meio de uma Manifestação de Interesse Público.

O grupo, de comerciantes presentes na atual Ceagesp, quer uma gestão privada para o futuro entreposto, localizado em um terreno particular. Entretanto, ainda não há garantias de que o projeto será executado e nem há um prazo de construção.

Segundo um dos comerciantes, o empresário Sérgio Benassi, o custo do condomínio pago na Ceagesp é alto e a gestão não é eficiente. “Na Ceasa do Rio, que é administrada por uma cooperativa, eu pago R$ 20 o condomínio por metro quadrado e é mais bem cuidado. Aqui pago cerca de R$ 120”, diz ele.

A Ceagesp é administrada pelo governo federal, que também é dono do terreno na Vila Leopoldina. Desde o início da sua gestão, Haddad defende a transferência do entreposto do local, valorizado por mudanças na nova lei de zoneamento.

Segundo a Nesp, a região de Perus é estratégica, por estar próxima do Rodoanel e de ferrovias. A prefeitura argumenta que a mudança diminuiria o fluxo de caminhões na Vila Leopoldina, reduzindo o trânsito e a poluição no bairro.

O futuro entreposto é um empreendimento privado a ser construído em área particular de 4 milhões de metros quadrados. Como o terreno está situado em Zona de Ocupação Especial (ZOE), essa manifestação é necessária para que o município defina os parâmetros construtivos para a área, conforme estabelecido pelo artigo 15 da Lei 16.402/2016 (Lei de Zoneamento).