Paulo Maluf diz que mudar nome do Minhocão é ‘revanchismo ideológico’

Um dia após o prefeito Fernando Haddad (PT) trocar o nome do elevado Costa e Silva, o Minhocão, para Elevado João Goulart, a sobrinha do general que presidiu o país entre 1967 e 1969 disse que “homens que mudam nomes e derrubam estátuas não são democratas”. À reportagem, o deputado federal Paulo Maluf disse que a mudança é revanchismo ideológico e que Costa e Silva ajudou São Paulo, diferentemente de João Goulart.

“Estão muito enganados se pensam em apagar a história. Verdade e Justiça sempre surgirão, ainda que tardiamente”, disse nesta terça-feira (26), por email, Teresinha da Costa e Silva Puglia. Ela é filha do também militar Riograndino da Costa e Silva, irmão do ex-presidente Arthur da Costa e Silva, de quem foi secretário particular em 1969. Arthur morreu durante o mandato. Seu irmão, em 1993.

Nesta segunda-feira (25), o prefeito retirou a homenagem ao ex-presidente durante a ditadura militar da via – que liga a zona oeste à região central, com conexões para as regiões sul e leste – e decidiu repassá-la ao presidente deposto no golpe de 1964. O elevado foi inaugurado em 1971 pelo então prefeito, hoje deputado federal, Paulo Maluf (PP), que também escolheu o nome do acesso.

A mudança faz parte de um programa que prevê alterar os nomes de pelo menos 40 vias e praças da cidade, que hoje homenageiam personagens do período militar, muitos deles considerados violadores de direitos humanos, assassinos e torturadores.

Único jornal diário gratuito no metrô