Russomanno é absolvido pelo STF e poderá concorrer à Prefeitura de SP

ACUSAÇÃO – Segundo última pesquisa Datafolha, Russomanno – julgado pela acusação de peculato pelo Supremo Tribunal Federal – lidera a disputa com 25% das intenções de voto

A segunda turma do STF (Supremo Tribunal Federal) absolveu, por 3 votos a 2, o deputado federal Celso Russomanno da acusação de peculato nesta terça-feira (9). Com isso, ele se livrou de ser enquadrado na Lei da Ficha Limpa e poderá se candidatar à Prefeitura de São Paulo. Segundo a última pesquisa Datafolha, Russomanno lidera a disputa com 25% das intenções de voto.

O parlamentar e apresentador de TV era acusado de usar dinheiro da Câmara dos Deputados para bancar o salário da ex-gerente de sua produtora de vídeo Sandra de Jesus, entre 1997 e 2001.

Dos cinco ministros que compõem o colegiado, Dias Toffoli, Gilmar Mendes e Celso de Mello entenderam que a prática não configura crime de peculato, ou seja, desvio de dinheiro público. Relatora do caso, a ministra Cármen Lúcia votou pela condenação do parlamentar e foi acompanhada por Teori Zavascki.

O caso já foi julgado na Justiça Federal, onde Russomanno foi condenado a dois anos e dois meses de prisão (convertidos em penas alternativas) em fevereiro de 2014. A condenação havia sido na primeira instância porque, à época, ele estava sem mandato. Russomanno recorreu. Em 2015, ao assumir a cadeira de deputado, o recurso subiu para o STF, por causa do foro privilegiado.

Único jornal diário gratuito no metrô