Mesmo liberados, taxistas de São Paulo evitam corredor por falta de sinalização

ATUALIZAÇÃO – Em nota, a CET (Companhia de Engenharia de Trafego) afirmou que está atualizando a sinalização relativa à permissão de circulação de taxistas nos corredores

Em maio, o prefeito Fernando Haddad (PT) liberou a circulação de táxis nos corredores de ônibus da cidade. Mesmo assim, taxistas evitam rodar nos corredores, com medo de serem multados. A medida foi tomada para acalmar os taxistas que estavam insatisfeitos com a legalização do Uber, aplicativo que conecta motoristas particulares a passageiros.

A regra, porém, acabou gerando confusão entre os motoristas. Segundo a nova regra, os motoristas têm permissão para usar o corredor de ônibus à esquerda das avenidas, em qualquer horário, desde que estejam com passageiro. Antes, os taxistas estavam proibidos de utilizar o espaço dos corredores de ônibus nos horários de pico (das 6h às 9h e entre 16h e 20h), de segunda a sexta-feira.

A mesma portaria também permitiu aos táxis utilizarem as faixas exclusivas à direita das vias, com ou sem passageiros, a qualquer horário. A sinalização nos locais, porém, não deixa isso claro. Nos corredores de ônibus as placas avisam que é “permitido táxi nos horários e condições autorizadas”, sem esclarecer , contudo, quais são esses horários e condições. A permissão é restrita aos táxis e não se aplica a serviços particulares de motorista, como o Uber e Cabify.

O presidente do Sindicato dos Taxistas Autônomos de São Paulo, Natalício Bezerra, confirmou as falhas, mas enalteceu a medida. “Isso é uma das coisas boas que o prefeito [Haddad] fez para os taxistas e que favorece toda a população usuária de táxi”, disse. Em nota, a CET (Companhia de Engenharia de Trafego) afirmou que está atualizando a sinalização relativa à permissão de circulação de taxistas nos corredores.

Único jornal diário gratuito no metrô