Ludwig e Walkenhorst, campeãs olímpicas, vinham de dois títulos europeus

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) – Depois de uma vitória histórica contra a dupla dos Estados Unidos, Ágatha e Bárbara não resistiram contra a precisão e eficiência da dupla alemã.
Na semifinal, as brasileiras superaram a americana Kerri Walsh Jennings, que tem três medalhas de ouro em Olimpíada no currículo. Na final, o tropeço não veio contra um adversário qualquer. Laura Ludwig e Kira Walkenhorst foram a primeira dupla feminina de seu país a disputar uma final de Olimpíada, mas não vieram para a Rio-2016 sem credencias.
Elas são as atuais bicampeãs europeias. Ludwig, que tem 30 anos, já havia disputado outros dois Jogos: Pequim-2008 e Londres-2012, quando jogava ao lado de Sara Goller, aposentada. Na China, caiu nas oitavas de final. No Reino Unido, perdeu para as brasileiras Juliana e Larissa nas quartas.
O sucesso olímpico só veio quando passou a jogar ao lado de Walkenhorst, cinco anos mais nova, que disputou seus primeiros Jogos no Rio de Janeiro. Na decisão do ouro, a mais nova da dupla ergueu um paredão e marcou sete pontos no bloqueio, enquanto Ludwig forçou o saque para conseguir dois aces.

Único jornal diário gratuito no metrô