Alckmin defende protestos, mas diz que depredações são inaceitáveis

O Governador de São Paulo, assinou convênios entre a Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) e o Tribunal Regional Federal da 3° Região para disponibilização de postos de trabalho para os cumpridores de penas e prestação de serviço à comunidade. 24/08/2016 - São Paulo - Foto: Eduardo Saraiva/A2IMG

DÉBORA ÁLVARES E GUSTAVO URIBE
BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) – O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, defendeu na noite desta quinta-feira (1°) as manifestações que têm ocorrido na capital paulista, mas afirmou que depredações são intoleráveis.
“Manifestações são legítimas. O que não pode é depredação, vandalismo em patrimônio público ou privado. A polícia tem o dever de agir e garantir a ordem . Essa é a orientação para a polícia”, disse o governador, após participar da cerimônia de posse da ministra Laurita Vaz na presidência do STJ (Superior Tribunal de Justiça), em Brasília.
Na noite de quarta (31), dia em que o Senado confirmou o impeachment de Dilma Rousseff, a capital paulista foi palco de violência nas ruas. Policiais jogaram bombas de gás para dispersar manifestantes contrários ao afastamento definitivo da petista.
Sobre a votação no Senado, Alckmin disse que a confirmação do destino de Dilma “melhora o ambiente político”.
Segundo o governador, o que interessa agora “é retomar a atividade econômica”.
Seu partido, o PSDB, “dará todo apoio às medidas de interesse do país”, afirmou o tucano. “Existe um conjunto de reformas e medidas necessárias”.

Único jornal diário gratuito no metrô