Doria para de crescer, mas mantém liderança em São Paulo, diz Ibope

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – O candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, João Doria, se isolou na liderança da disputa, aponta pesquisa Ibope divulgada nesta quarta-feira (28).
De acordo com o instituto, Doria não cresceu em relação ao levantamento anterior, de 26 de setembro: manteve os 28% das intenções de voto.
Celso Russomanno (PRB), por outro lado, que registrava um empate técnico com o tucano dentro da margem de erro, oscilou negativamente, mantendo uma tendência de queda.
O deputado federal, que havia caído seis pontos entre as duas últimas pesquisas, oscilou dentro da margem de erro: passou de 24% a 22%. A margem de erro desta pesquisa é de 3 pontos percentuais, para mais ou para menos.
Marta Suplicy (PMDB) manteve o terceiro lugar, com 16% -tinha 15%. Ela está tecnicamente empatada com o atual prefeito, Fernando Haddad (PT), que oscilou positivamente um ponto: passou de 12% para 13%.
Luiza Erundina (PSOL) teve oscilação idêntica, de 5% para 6%. Major Olímpio (SD), João Bico (PSDC), Levy Fidelix (PRTB) e Ricardo Young (Rede) têm 1% cada um.
Henrique Áreas (PCO) e Altino (PSTU) não pontuaram.
SEGUNDO TURNO E REJEIÇÃO
O Ibope também aferiu cenários de segundo turno. O tucano Doria está à frente em todos dos quais faz parte: contra Russomanno, venceria por 41% a 36%; contra Marta, por 44% a 33%.
Contra Haddad, Doria registra sua maior vantagem: 52% a 27%.
Num cenário sem Doria, entre Russomanno e Marta, o deputado do PRB fica numericamente à frente: 39% a 35%.
O atual prefeito tem o maior índice de rejeição entre os candidatos: 41% -6 pontos percentuais a menos do que o apontado no levantamento anterior.
Em seguida, na lista de nomes nos quais os eleitores não votariam, vêm Marta (29%), Levy Fidelix (26%), Erundina (25%), Russomanno (24%) e João Bico (18%).
Doria tem uma das menores taxas de rejeição: 17%, o mesmo registrado por Major Olímpio e Altino. Henrique Áreas tem rejeição de 14% e Ricardo Young, de 13%.
O Ibope ouviu 1.204 pessoas entre os dias 25 e 28 de setembro. A pesquisa, registrada no TRE-SP, foi contratada pelo jornal “O Estado de S. Paulo” e pela TV Globo.