‘Vida está dura até para vender cerveja’, afirma dono da Ambev

Mar. 23, 2011. Jorge Paulo Lemann, (left) Chairman and Co-Founder, Fundacao Estudar, Harvard College AB '61 and James F. Rothenberg, (center) AB í68, Harvard, MBA í70, member of the Harvard Corporation and ex officio member of the Universityís Board of Overseers, Chair of the board of directors of Harvard Management Company talk after The Harvard Club of Brazil dinner at the Lemann residence in S„o Paulo, Brazil. Photo by Kris Snibbe/Harvard Staff Photographer

“A vida está dura e difícil até para vender cerveja.” A frase é do empresário Jorge Paulo Lemann, o homem mais rico do país e um dos controladores da Ambev, ao comentar a situação econômica do Brasil, que apresenta sinais de recuperação mais fraca que o previsto há alguns meses.

Lemann participava de conversa com o presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco, durante o intervalo da reunião do Conselhão, o Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, no Planalto, na segunda-feira (21). Os dois falavam sobre o ritmo ainda fraco da economia quando Lemann fez o comentário como símbolo do momento ainda difícil do país.

Um dos presentes à conversa traduziu a fala do empresário, que veio da Suíça apenas para participar da reunião. “Se está difícil para vender cerveja, imaginem o resto”, comentou o interlocutor, que foi lembrado que a venda de veículos também está aquém do ideal. O mercado de cerveja da Ambev registrou queda neste ano no Brasil. Até o trimestre encerrado em setembro, as vendas caíram 5,1% ante o mesmo período de 2015. A receita líquida da empresa, maior fabricante de bebidas do país, recuou 6,6%.

Único jornal diário gratuito no metrô