Após rebaixar status da CGM, Doria põe Laura Mendes para chefiar órgão

O prefeito eleito João Doria (PSDB) escolheu para chefiar a CGM (Controladoria-Geral do Município) uma mulher que já trabalha no órgão.
Laura Mendes Amando de Barros, atual chefe da assessoria jurídica da CGM, foi anunciada nesta quarta-feira (30) para chefiar o órgão que perdeu status de secretaria na gestão do tucano. O órgão foi responsável pela descoberta de desvios milionários na Prefeitura de São Paulo, como a máfia do ISS.
O rebaixamento causou preocupação a respeito do possível enfraquecimento da CGM na futura administração. Ela afirma acreditar que, apesar de ligado administrativamente à Secretaria de Justiça, não perderá autonomia, hoje prevista por lei.
“Nossa autonomia é intocável. Não existe controle interno sem autonomia”, afirmou Laura. “A administração já se comprometeu com essa questão. O que a gente vai ter é uma reorganização administrativa”.
O responsável pela pasta de Justiça de Doria, Anderson Pomini, afirma que a titular da CGM prestará contas apenas ao prefeito.
O nome de Ricardo Ferrari Nogueira também foi anunciado como procurador-geral do município. Ele já atua como procurador do município e foi um dos criadores do Procon Paulistano.