Brasileiros são condenados a 20 anos de prisão por assassinato no Japão

Dois brasileiros descendentes de japoneses foram condenados nesta terça-feira (7), em São Paulo, pela morte de um comerciante e de ferir a mulher da vítima, em Tóquio, no Japão. Marcelo Chrystian Gomes Fukuda foi condenado a 23 anos, sete meses e seis dias de prisão e Cristiano da Silva Severo Ito a 22 anos, um mês e 15 dias pelos crimes de homicídio duplamente qualificado contra o homem e tentativa de homicídio triplamente qualificado praticado contra a mulher.

Os acusados praticaram os crime em junho de 2001 e, dois dias depois, fugiram para o Brasil. A Interpol e a Polícia Federal entraram no caso e os dois foram presos dez anos após o crime. Fukuda foi preso em Mogi das Cruzes (Grande São Paulo) e Ito em Campinas (93 km de São Paulo).

Os dois homens confessaram à Justiça que foram contratados por um japonês para “fazer um serviço sujo” de matar o comerciante. Em depoimento, Ito falou que arrombou a porta da casa e atirou no comerciante. Eles não sabiam que a mulher da vítima estava em casa. O assassino bateu com arma na cabeça da mulher da vítima, que ficou desacordada, mas sobreviveu. Segundo Ito, a sua intenção não foi matar a mulher.

O juiz Luis Gustavo Esteves Ferreira disse que os condenados vão cumprir as penas em regime fechado por se tratar de crimes hediondos e para garantir aplicação da lei penal e da ordem pública de crimes que causaram grande clamor popular perante a ordeira sociedade nipônica.

 

Único jornal diário gratuito no metrô