Roubos e furtos de celulares dobraram com av. Paulista fechada aos domingos

O total de celulares roubados e furtados aos domingos no primeiro ano do programa “Paulista Aberta” praticamente dobrou. Desde que a via passou a ser fechada para carros e aberta para pedestres, em outubro de 2015, a cada domingo são registrados, em média, 17 boletins de ocorrência por furto ou roubo de celular. Antes do programa, entre outubro de 2014 e setembro de 2015, a média era de 9.

A SSP (Secretaria da Segurança Pública) diz que intensificou o policiamento após a criação do programa, mas não informou o número de policiais a mais. Moradores e trabalhadores relatam sensação crescente de insegurança.

Dados da SSP obtidos pelo jornal “O Estado de S. Paulo”, via Lei de Acesso à Informação, mostram que entre outubro de 2015 –início oficial do programa– e setembro deste ano foram registrados 2.879 boletins de ocorrência por furtos e roubos a celular. Um terço dos casos foi aos domingos, quando a via passou a ser ocupada por maior número de pessoas a pé. Já no período anterior, de outubro de 2014 a setembro de 2015, houve 1.817 registros.

Nos 52 domingos de Paulista aberta, ladrões levaram 884 telefones, avanço de 82% na comparação com 2015. Essa taxa é superior ao aumento total de furtos e roubos na capital (3,3%).