Músicos da Banda Sinfônica do Estado de SP assinam demissão

A Banda Sinfônica do Estado de São Paulo sofreu o temido desmonte que previa desde dezembro de 2016, quando cortes no orçamento foram anunciados. Ao todo, 64 integrantes do grupo foram demitidos na manhã desta quinta-feira (9).

Apenas o maestro Marcos Sadao Shirakawa foi mantido até o momento, tendo em vista a condução dos concertos que a banda deve realizar no interior do Estado, com músicos contratados pontualmente.

Os integrantes do grupo aguardavam nesta manhã a demissão coletiva agendada para as 9h30 no Teatro Caetano de Campos, no bairro da Aclimação, onde costumavam ensaiar. Na terça (7), eles realizaram uma audiência pública na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), na qual foi assinada uma moção que propõe o cumprimento do acordo parlamentar que garantiria o repasse de R$ 5 milhões para a manutenção do grupo.

Os músicos também entregaram uma carta ao Instituto Pensarte, organização social gestora, e à Secretaria de Cultura com uma proposta de redução de salário e jornada.

O contrato do Pensarte vai até abril, e o governo fez uma convocação pública para contratar a organização social que substituirá o instituto. O documento, publicado no “Diário Oficial” do dia 25 de janeiro, pede para que os candidatos enviem propostas para os grupos do governo, como a Jazz Sinfônica e a Orthesp, mas a Banda Sinfônica não é citada na lista. A banda também ficou de fora da comemoração do aniversário de São Paulo no início deste ano pela primeira vez em seus 27 anos de existência.