Arrecadação administrada pela Receita Federal cai 0,75% em janeiro

A arrecadação administrada pela Receita Federal somou R$ 131,8 bilhões em janeiro. Descontada a inflação, o valor é 0,75% menor do que o registrado no mesmo mês do ano passado, de acordo com dados divulgados pela Receita nesta quarta-feira (22).
Quando contabilizada a arrecadação de outros órgãos federais além da Receita, o valor soma R$ 137,3 bilhões. Nesse caso, há um aumento real (descontado o efeito da inflação) de 0,79% no período.
Essas outras receitas federais, que incluem as participações da União em reservas naturais, subiram de R$ 3,2 bilhões em janeiro de 2016 -quando a arrecadação com royalties principalmente de petróleo estava em baixa por causa do preço do produto e do real desvalorizado- para R$ 5,4 bilhões no mês passado, alta de 60,86%.
Setor Financeiro
No caso da arrecadação da Receita Federal, a queda só não foi maior em razão do Imposto de Renda da Pessoa Jurídica e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido, que somaram receitas de R$ 37,3 bilhões no mês passado e tiveram um crescimento real de 3,56% na comparação com janeiro de 2016.
Somente o setor financeiro representou uma arrecadação R$ 1,8 bilhão maior neste ano do que no ano passado -um crescimento real de mais de 20% no período.
Se esse aumento não tivesse ocorrido, haveria queda na arrecadação das receitas federais.
O Imposto de Renda Retido na Fonte, que incide sobre os rendimentos do trabalho, totalizou R$ 12 bilhões, um aumento real de 6,25% na comparação com janeiro do ano passado. O Imposto de Renda da pessoa física totalizou R$ 2,5 bilhões, um aumento de 24,53%.