Governo quer vender pelo menos três áreas do pré-sal por ano até 2019

O secretário de petróleo e gás do Ministério de Minas e Energia (MME), Márcio Felix, disse nesta sexta (17) que o governo quer definir em abril um calendário de leilões de áreas novas do pré-sal entre 2017 e 2019. A ideia, segundo ele, é oferecer três ou quatro áreas por leilão.
A proposta será levada ao CNPE (Conselho Nacional de Política Energética) em abril, informou o secretário em entrevista durante evento promovido pelo IBP (Instituto Brasileiro do Petróleo), que representa as petroleiras.
Até setembro, o governo deve realizar a segunda rodada de licitações do pré-sal, com a oferta de quatro pedaços de reservas já descobertas que se estendem para áreas da União -as chamadas áreas unitizáveis.
A proposta que será feita ao CNPE compreende a terceira, a quarta e a quinta rodadas de licitação do pré-sal. A primeira deve ser realizada ainda em novembro e as outras duas, nos dois anos seguintes.
Marcio Felix não quis adiantar quais serão as áreas novas, limitando-se a dizer que a ideia é ofertar entre três ou quatro por ano.
Em maio, um grupo de trabalho formado no governo para definir a política de exploração de petróleo do país deve concluir seus trabalhos e apresentar proposta para um calendário de leilões mais longo, compreendendo os próximos dez anos.