Doria é derrotado na Câmara e pacote de desestatização fica para 2º semestre

A gestão João Doria (PSDB) sofreu uma derrota nesta quarta-feira (21) ao tentar dar andamento ao pacote de desestatizações na Câmara Municipal. Agora, os projetos de interesse do prefeito deverão ser votados apenas no segundo semestre. A ideia do governo era votar os projetos até o fim do mês, antes do recesso parlamentar, mas o cronograma imposto pela gestão irritou a base.

O pacote é dividido em dois projetos: um que foca apenas o Pacaembu e outro maior, que inclui parques, Bilhete Único e outros equipamentos. O projeto para a concessão do Pacaembu não obteve maioria na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) – houve quatro votos a favor, um contrário e quatro ausências. Os vereadores ausentes foram Caio Miranda (PSB), Janaína Lima (Novo), Zé Turin (PHS) e Rinaldi Digiglio (PRB). Já o projeto maior teve a votação adiada na CCJ.

Com isso, o líder do governo, vereador Aurélio Nomura (PSDB), admitiu votar os projetos só no segundo semestre. “O governo, na realidade, ouviu a Câmara, os vereadores e achamos que seria interessante atender os anseios”, disse. “Votar, mas votar em dúvida nós não queremos. Queremos que todos tenham a convicção ao apertar esse botão”. Nomura afirma que o assunto poderá ser discutido pelos vereadores em julho, durante o recesso.