São Paulo reduz índice de gravidez precoce a menor nível em 18 anos

O índice de gravidez na adolescência em São Paulo atingiu seu menor nível nos últimos anos. O resultado é verificado em balanço produzido pela Secretaria de Estado da Saúde. Os dados foram divulgados na sexta-feira (22), na Casa do Adolescente do AME de Heliópolis, na capital paulista, com a presença do governador Geraldo Alckmin.

“Viemos aqui no AME Heliópolis para trazer uma prestação de contas e uma avaliação positiva. Há uma grande preocupação com a gravidez na adolescência”, disse Alckmin, antes de detalhar os números do balanço e enfatizar o trabalho feito com meninas de 10 a 14 de idade.

“Esse é um grande drama das nossas jovens, inclusive uma preocupação muito grande na faixa de 10 a 14 anos de idade, pois existem gravidez extremamente precoces. Nós tivemos uma redução, de 10 a 14 anos, que é um grande desafio no mundo inteiro, de 40%, desde 1998 até 2016. E tivemos na adolescência como um todo uma redução de 148.018 gestantes para 79.048 gestantes menores de 20 anos de idade. Ou seja, uma redução de 46,5%”, destacou o governador.

Além das políticas públicas adotadas no Estado, a intensa distribuição de preservativos, e da qualificação de equipes nos serviços de saúde, uma iniciativa foi apontada pelo governador como importante para o resultado positivo na busca pela orientação das jovens, as Casas do Adolescente.