Operação Salazar prende 17 acusados de tráfico e associação criminosa

A Polícia Civil deflagrou, na manhã desta quinta-feira (19), a operação Salazar, que visa o combate ao tráfico de drogas e associação criminosa. A ação, que ainda está em andamento, prendeu 17 pessoas até o momento.

Cerca de 300 policiais civis participam da operação, que acontece na cidade de São Paulo e em outros 11 municípios. Além dos mandados de prisão temporária, foram cumpridas ordens de busca e apreensão.

Do total de detidos, 13 foram em decorrência de mandados de prisão temporária e quatro em flagrante. As prisões aconteceram nas cidades de São Paulo, Praia Grande, Cubatão, Iguape, Ilha Comprida, Socorro e Pedreira.

Um dos homens detidos em flagrante foi encontrado com uma espingarda de calibre 12, uma pistola 6.35 e um revólver de calibre 44, na Capital. Além das armas, o acusado ainda estava com 273 munições de diversos calibres, quatro facas, um rádio transmissor, entre outros objetos.

Durante o cumprimento dos mandados, as equipes recolheram nos endereços vistoriados 14.141,50 reais, 100 dólares americanos e 48.300 bolívares (moeda venezuelana). Além das armas apreendidas com o homem preso em flagrante, mais dois revólveres foram recolhidos.

Os agentes também apreenderam dois veículos e objetos diversos, como três dezenas de celulares, câmera fotográfica, notebooks, máquinas de cartão de crédito, CPUs, relógio, papéis, cartões, documentos e um pendrive.

A operação

A Salazar é decorrência de mais de um ano de investigações contra pessoas suspeitas de integrarem uma facção criminosa. Os acusados são apontados como responsáveis pelo tráfico de drogas nas regiões do ABCD, Baixada Santista, Campinas, Bragança Paulista e litoral Sul.

No total, a operação se estende por 12 municípios – São Paulo, São Bernardo do Campo, Santos, Cubatão, Praia Grande, Mongaguá, Iguape, Ilha Comprida, Cananéia, Pedreira, Socorro e Bragança Paulista.

A ação é coordenada pela Delegacia de Investigações sobre Entorpecentes (Dise) de São Bernardo do Campo e conta com a participação de equipes das delegacias especializadas das regiões onde foi desencadeada.

Crédito: SSP