Plano antienchente de Doria e Alckmin foca em obras só para depois do verão

A gestão João Doria (PSDB) e o governo Geraldo Alckmin (PSDB) anunciaram nesta quarta-feira (29) aumento em equipes e obras antienchentes para o período de chuvas.
Das seis principais obras anunciadas, porém, apenas as do Córrego do Cordeiro (zona sul) e a do mini piscinão Aricanduva (zona leste) devem ser total ou parcialmente entregues neste verão.
O secretário municipal de Obras, Marcos Penido, afirmou que a prefeitura trabalhava para regularizar documentação para captação de recursos do governo federal.
Conforme a Folha de S.Paulo revelou, até o início deste mês, a gestão tucana só havia gasto 21% do previsto no ano para obras de drenagem em São Paulo -R$ 172 milhões de R$ 837 milhões. O aperto nas contas afetou até a manutenção.
Penido sustenta que a gestão aumentou o ritmo de limpeza de córregos e piscinões nos últimos meses. “Hoje os piscinões estão limpos. A cidade está melhor preparada que no ano passado para receber as chuvas”.
A prefeitura afirmou que haverá aumento das equipes que atuam em momentos críticos, junto com o Corpo de Bombeiros. Estes grupos passarão de cinco para 14. O governo Alckmin, por sua vez, afirmou que realizou ações como o desassoreamento do rio Tietê e a limpeza de piscinões.
Entre as novidades anunciadas, está um aplicativo da prefeitura, “SP + Segura”, para que a população possa informar sobre ocorrências relativas às chuvas, como queda de árvores e alagamentos. O aplicativo também funcionará para denúncias de crimes.

(Folhapress)
Foto: Tercio Teixeira