Ensino público de SP somente fica entre os melhores no 5º ano do Fundamental

A nota dos alunos do Estado de São Paulo, o mais rico do país, do 6º ano do Ensino Fundamental ao fim do Ensino Médio público não está entre as cinco melhores do Brasil. Os resultados são do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) 2017, divulgados nesta quinta-feira, 30, pelo Ministério da Educação.
Por outro lado, o Estado está no topo do ranking do 1º ao 5º do fundamental (alunos com menos de 11 anos) em Português e o segundo, em Matemática. A grande maioria das escolas dessa etapa de ensino são municipais.
O Saeb é a mais importante avaliação brasileira. Ele mede a aprendizagem dos alunos do 5º ano e 9º ano do fundamental e do 3º do médio, desde 1995, nas escolas públicas. A rede particular este ano pôde se voluntariar para participar (até o ano passado, o MEC as selecionava por amostragem).
O sistema público paulista (redes federal, estadual e municipal) aparece apenas na 7ª e na 10ª posições no ranking nacional de Português e Matemática, respectivamente. Fica abaixo de Estados como Rondônia e Mato Grosso do Sul.
Cerca de 68% das escolas de Ensino Médio são de responsabilidade dos Executivos estaduais. Em 2015, edição anterior do Saeb, suas posições eram 5ª e 7ª no ranking nacional, respectivamente. Na etapa do 6º ao 9º ano do fundamental – cujas escolas são municipais em algumas cidades e estaduais em outras – São Paulo fica na 8ª posição em Português e na 10ª em Matemática.
O desempenho de Português e Matemática é usado para compor o Índice de Desempenho da Educação Básica (Ideb), que inclui ainda dados de aprovação.
O Ideb mais recente só será divulgado segunda-feira, 1º, porque o ministro da Educação, Rossieli Soares, resolveu pela primeira vez apresentar os dados separadamente. Segundo ele, a ideia é que a sociedade discuta mais a aprendizagem das crianças, ou seja, o desempenho nas provas de Português e Matemática. Para que o Ideb suba mesmo com notas mais baixas é preciso ter bons índices de aprovação.

Mais da metade de alunos tem nota
fraca em Português e Matemática

Mais da metade dos alunos de 14 a 17 anos do País não aprendeu praticamente nada do esperado para as séries que estão cursando, tanto em Português quanto em Matemática. Mesmo no 3º ano do ensino médio, a maior parte dos jovens não sabe identificar a informação principal de uma reportagem ou calcular porcentagem, por exemplo.
O quadro é mais grave no ensino médio, em que 7 em cada grupo de 10 alunos estão nos níveis considerados insuficientes de aprendizagem nas duas disciplinas. “É uma das coisas mais preocupantes que a gente tem no País. Ou o aluno abandona a escola ou fica e não aprende nada”, diz o ministro da Educação, Rossieli Soares Silva.