Major Olímpio descarta apoio de Bolsonaro a Doria neste 2º turno

 

Antônio Boaventura

Defendendo o voto “BolsoDoria”, o candidato ao governo do estado de São Paulo pelo PSDB, João Doria, espera ganhar o apoio dos simpatizantes do presidenciável do PSL, Jair Bolsonaro, nesta última semana de campanha. No entanto, o presidente estadual do partido e senador eleito Major Olímpio, descartou o apoio a Doria, ratificando que o partido em São Paulo está com o governador Márcio França (PSB), candidato à reeleição.

O presidente do PSL-São Paulo explicou que o PSL tem candidatos a governador em apenas três estados: Santa Catarina, Rondônia e Roraima. “Em todos os outros estados, Bolsonaro está neutro”, afirmou.

Olímpio falou ainda sobre os governos do PSDB no estado. “Os policiais [estão] dizimados, os agentes penitenciários dizimados e agora os nossos professores e todos os servidores públicos. Então, o Márcio França representa pra nós uma esperança. E a esperança nesse momento é 40. E quem vota no Bolsonaro não vota no PSDB, vai votar 40, afirmou Major Olímpio.

Olímpio entende que os 24 anos de gestão tucana em São Paulo foi prejudicial para o desenvolvimento do maior estado brasileiro neste período. Ele acredita que o revezamento interno da sigla colaborou para a existência e instalação de um processo de perseguição a determinados setores da sociedade paulista.

“Eu não alimento o meu carrasco. Faz 24 anos que nós estamos sofrendo no estado de São Paulo perseguições de toda ordem do PSDB. Começou com o Mário Covas, depois veio com Alckmin, Serra, depois voltou o Alckmin e é a mesma forma de perseguição”, disse o parlamentar, que ocupa atualmente o cargo de deputado federal.

Em contrapartida, João Doria (PSDB), durante evento realizado pelos simpatizantes de Bolsonaro na avenida Paulista, região central da cidade de São Paulo, reforçou seu apoio ao presidenciável do PSL e pediu o apoio de seus eleitores naquele ato público.

“São movimentos do povo. São movimentos espontâneos. E a Paulista se tornou centro disso e o centro do verde e amarelo e dos patriotas. Querem defender o Brasil. Querem defender São Paulo. Quantidade de gente que tem aqui na Paulista envergando não a camiseta vermelha do PT e nem do partido socialista, mas a bandeira do seu país. E no próximo dia 28, esse povo sabe e vai votar Jair Bolsonaro e aqui em São Paulo, João Doria governador”, concluiu.