Doria chama os ministros da Cultura e Educação para governo de São Paulo

 

O governador eleito de São Paulo, João Doria, já escolheu três ministros do atual governo para compor seu secretariado. Além do ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, farão parte do próximo governo estadual, Rossieli Soares (Educação) e Sérgio Sá Leitão (Cultura). Conforme anúncio feito nesta terça-feira (6) por Doria, Rossieli e Sá Leitão ficarão nas mesma áreas em que atuam, à frente das secretarias de Educação e Cultura, respectivamente.

Na campanha eleitoral, Doria foi um dos candidatos que provocaram reações do presidente. Em um vídeo publicado nas mídias sociais, Temer respondeu ao então candidato a governador de São Paulo, usando o título “Desacela @jdoriajr”. “Quando ocupou por brevíssimo tempo a prefeitura de São Paulo, você me pediu muito auxílio ao governo federal. E nós demos. […] Peço a você que não falte a verdade”, cobrou Temer em setembro.

Na ocasião, o presidente orientou Doria a não seguir os conselhos de sua assessoria e manter suas características na propaganda eleitoral. “Você que tanto enalteceu meu governo, não é por causa das eleições que vai mudar suas características. Aliás, se quisermos dar um exemplo nesta eleição, devemos nos comportar como somos, não como muitas vezes, penso eu, o marqueteiro talvez te aconselhe. Eles estão equivocados porque ferem os critérios morais que devem pautar a sua conduta e de todos os candidatos”, disse o presidente, no vídeo.

Cultura responde por 3,9% do

PIB do estado de São Paulo

A pasta a ser comandada por Sá Leitão passará a se chamar Secretaria de Cultura e Economia Criativa, para dar destaque ao aspecto empreendedor do setor. Ele lembrou que a cultura responde por 3,9% do Produto Interno Bruto de São Paulo. “É a maior participação desse setor no PIB estadual no nosso país”, ressaltou. Além disso, estão no estado, segundo o ministro, 40% de todos os empregos gerados pela economia criativa no país.

Como secretário, Sá Leitão disse que pretende facilitar o empreendedorismo e oferecer formação para os profissionais trabalharem com atividades ligadas à cultura. Apesar da ênfase no aspecto econômico, Sá Leitão disse que será mantida a atenção à cultura fora do circuito comercial.

Já Rossieli disse que uma das ênfases da sua gestão será o ensino técnico. “A Secretaria de Educação precisa estar próxima das escolas técnicas, apoiando e dando oportunidade para os jovens”, ressaltou. O Ministério da Educação informou que Rossieli aceitou “o desafio para fazer o melhor pela educação de São Paulo, que tem a maior rede pública estadual de educação de todo o Brasil”. Segundo o MEC, ele continuará no cargo até o fim deste ano.

 

 

Foto: RENATO S. CERQUEIRA/FUTURA PRESS