Palácio veta carrinho de bebê e até guarda-chuva na posse de Bolsonaro

O Palácio do Planalto estima que a posse do presidente eleito, Jair Bolsonaro, no dia 1º de janeiro, terá entre 250 mil e 500 mil pessoas na Esplanada dos Ministérios. O acesso de pedestres será feito exclusivamente pela rodoviária, na região central de Brasília. Ao longo da Esplanada, haverá quatro pontos de revista pessoal. A Esplanada contará com postos médicos, pontos de água, banheiros e telões. Vendedores ambulantes serão proibidos.

O ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Sérgio Etchegoyen, informou que ainda não foi decidido se Bolsonaro vai desfilar em carro aberto. “Ela [a decisão] será tomada em função das circunstâncias, que vão evoluindo até a tarde do dia 1º. O presidente eleito ainda não manifestou sua preferência”.

Segundo o ministro, o planejamento está adotando medidas e precauções para garantir a segurança do presidente eleito, das autoridades e do público. “A Esplanada estará absolutamente segura para o dia da posse”.

Sobre possíveis ameaças ao presidente eleito, Etchegoyen disse que “toda ameaça só deixa de ser ameaça quando é plenamente esclarecida”. “Vamos imaginar que o presidente Bolsonaro tivesse sofrido ameaça em julho. Se até hoje ela não está esclarecida, ainda é uma ameaça viva. Consequentemente, estará presente no planejamento”.

“Nós nunca tivemos um presidente que, durante a campanha, tenha sofrido uma tentativa de assassinato. Isso nunca aconteceu. Isso sugere, para quem é responsável por sua segurança, cautela”, acrescentou o ministro.

A Esplanada será interditada a partir das 0h do dia 30 de dezembro. No dia 31, não haverá expediente de funcionários nos ministérios. Segundo o Palácio do Planalto, não poderão ser levados para a Esplanada dos Ministérios no dia da posse armas de fogo, objetos cortantes, drones, produtos inflamáveis, fogos de artifício, apontadores laser, sprays, garrafas, bebidas alcoólicas, guarda-chuva, animais, bolsas e mochilas, máscaras, e carrinhos de bebê.

 

Foto: Valter Campanato ABr