Brinquedo é o melhor presente para as crianças, diz coordenador pedagógico

Divulgação

Ulisses Carvalho

Quando chega o dia 12 de outubro, o famoso Dia das Crianças, muitos pais se perguntam como podem presentear os filhos. Para o coordenador do curso de pedagogia da Universidade Presbiteriana Mackenzie, Ítalo Curcio, 63 anos, o melhor para os pequenos nessa data é um brinquedo, com o objetivo de incentivar e valorizar o significado desse dia especial.

“Eu indico um brinquedo e não uma roupa. Esse presente é para enaltecer a criança, fazer com que ela brinque”, destacou Curcio. Ele explica que o presente tem que ser lúdico. No entanto, o professor reconhece que essa questão vai de acordo com a cultura de cada família.

De acordo com Curcio, geralmente a maior parte dos presentes nesta data são brinquedos. “Até mesmo o presente é de acordo com a cultura dos pais, já que existem casos em que as próprias famílias tentam associar o aprendizado da escola ao tentar comprar uma lembrança para as crianças nesta data”, revelou.

Sobre a questão envolvendo a parte tecnológica, já que atualmente muitas crianças ganham celulares ou até tablets dos pais, o especialista indica que esses equipamentos tem o valor de presente, porém, não passam a mensagem do que é ser criança. “Esta lembrança para o filho geralmente está restrito à família, no âmbito do meio em que ela vive”, asseverou.

Em relação ao comércio, o economista chefe da Associação Comercial de São Paulo, Marcel Solimeo, informou que a expectativa é um crescimento de 2% nas compras em relação ao mesmo período do ano passado. Ele destaca que entre os maiores itens de compra nesta data estão roupas, calçados, brinquedos e, por último, jogos eletrônicos.

“O Dia das Crianças no total da atividade do varejo não é muito importante. Ele é melhor para roupas, calçados e brinquedos que estão com os preços estabilizados, crédito mais fácil e juros mais baixos. É possível que a venda desses itens possam crescer entre 4% e 5%”, revelou Solimeo.