Volume de queimadas no Pantanal em 2020 equivale à destruição dos últimos 6 anos

O número de focos de incêndio registrados no Pantanal entre janeiro e agosto deste ano equivale a nada menos que tudo o que queimou no bioma nos seis anos anteriores, de 2014 a 2019. O Estadão fez o levantamento com base em informações do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

Os dados revelam que, entre janeiro e agosto, foram registrados pelos satélites do Inpe um total de 10.153 focos de incêndio no Pantanal, bioma que soma 150 mil quilômetros quadrados, localizados nos Estados de Mato Grosso (35%) e Mato Grosso do Sul (65%). O número de focos supera os 10.048 pontos de queimadas relatados pelo Inpe entre 2014 e 2019.

Se comparado com o ano passado, quando houve aumento das queimadas criminosas na Amazônia e no Pantanal, o número deste ano é três vezes superior aos 3.165 focos de incêndio verificados entre janeiro e agosto de 2019. Em relação aos 603 focos confirmados em 2018, o cenário deste ano representa uma alta de 1.700%.

Ontem, em encontro de ministros no Palácio do Planalto, o presidente Jair Bolsonaro colocou uma criança com chapéu de boiadeiro ao seu lado, para perguntar se “está pegando fogo no Pantanal”. Houve uma risada geral do presidente e ministros, logo após a menina fazer o questionamento ao ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. Ele respondeu que “está pegando fogo”

“Mas o presidente mandou dez aviões lá para ajudar a apagar.”