Governo de São Paulo entrega complexo de obras da Nova Entrada de Santos com sete meses de antecedência

Com sete meses de antecedência, o Governo de São Paulo entregou nesta quinta-feira (24) as últimas obras estaduais que compõem a Nova Estrada de Santos, projeto desenvolvido pela prefeitura com apoio do Estado, entre o Km 59 e Km 65 da Rodovia Anchieta (SP 150). Foram concluídos o Viaduto Piratininga km 62+000, as marginais Norte e Sul em sentido único, a agulha de trânsito do Km 61 da SP 150 Sul, as vias locais de acesso a bairros e as ciclovias.

“A dimensão desse projeto é o impacto positivo que vai provocar em milhares de pessoas e para atuação do Porto de Santos, como o maior polo de circulação de mercadorias do País”, afirmou o governador João Doria durante visita a Santos. Também participaram do ato os secretários de Logística e Transportes, João Octaviano Machado, e de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, o secretário interino dos Transportes Metropolitanos, Paulo Galli, o diretor-presidente da EMTU, Marco Antonio Assalve, o diretor-geral da Artesp, Milton Persoli, o superintendente da Sabesp, Raul Christiano, e o prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa.

O projeto das obras estaduais do complexo, desenvolvimento por meio de parceria da concessionária Ecovias com a ARTESP – Agência de Transportes do Estado de São Paulo e o DER (Departamento de Estradas e Rodagem), recebeu investimento de R$ 270 milhões (base dezembro de 2017) e teve início em abril de 2018. As intervenções possibilitaram a reformulação dos acessos aos bairros lindeiros à Rodovia Anchieta, à zona industrial da Alemoa, à área portuária e às cidades de Santos e São Vicente (Via Av. Nossa Senhora de Fátima). Embora o término estivesse previsto em abril de 2021, esforços do Governo e dos parceiros para manter as obras mesmo durante a pandemia de coronavírus, resultaram na redução de prazo. 

Vídeo do complexo de obras da Nova Entrada de Santos: https://we.tl/t-l4BJzzavyW

Intervenções entregues

A Nova Entrada de Santos contempla uma série de intervenções, entre elas três viadutos – Piratininga (km 62+000), Alemoa (km 64+560) e o Reio do Futebol, antigo Anchieta (km 65+000); a implantação de vias locais para facilitar o acesso aos bairros Jardim Piratininga, Jardim São Manoel e São Jorge, uma ciclovia do km 60 ao km 65 da rodovia, ligando o Jardim Casqueiro, em Cubatão, à malha cicloviária de Santos, e a implantação de duas novas passarelas nos km 62+500 e km 64+350, em substituição às existentes nestes locais. Além disso, foi realizada a reconstrução do pavimento e melhorias na Avenida Bandeirantes (SP 148).

Benefícios

A Nova Entrada de Santos vai proporcionar à população da Baixada Santista melhoria do fluxo de veículos no acesso à cidade, que ocorrerá apenas pelas pistas centrais, enquanto o tráfego do Porto será realizado exclusivamente pelas pistas laterais. A via marginal da Anchieta, que atualmente opera em mão dupla, foi adaptada para funcionar apenas no sentido Litoral, enquanto a SP-148 (Avenida Bandeirantes), sob jurisdição do DER (Departamento de Estradas e Rodagem), também passou por alterações e vai operar apenas na direção da capital.

A nova configuração vai melhorar o acesso da Rodovia Anchieta aos bairros do entorno e à zona portuária, aumentará a capacidade de tráfego na região e oferecerá mais segurança viária aos usuários da rodovia.

O projeto foi desenvolvido pela concessionária Ecovias em parceria com a ARTESP – Agência de Transportes do Estado de São Paulo. Ele contempla os Viaduto Rei do Futebol, o Alemoa e o Piratininga. Além da segregação e organização do fluxo de veículos pesados, que seguem em direção ao porto, e de veículos leves, que vão rumo às áreas centrais das cidades de Santos e São Vicente.

Veículo Leve Sobre Trilhos

O Governo de São Paulo autorizou durante o evento o início das obras da segunda etapa do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT), entre a avenida Conselheiro Nébias e o Terminal Valongo, em Santos. O novo trecho terá investimento de R$ 217,7 milhões e capacidade para transportar até 35 mil passageiros por dia. Com sete meses de antecedência, Doria também entregou o Viaduto Piratiniga e obras viárias no entorno da Rodovia Anchieta, que integram um amplo pacote de investimentos do Estado no projeto da Nova Entrada de Santos. 

A segunda etapa do VLT terá 8 km de extensão e prevê a construção de 14 estações com acessibilidade, duas pontes sobre o canal 1, via permanente, quatro subestações de energia, sistema de rede aérea, sinalização viária e urbanização. O trecho terá frota composta por sete veículos, já adquiridos pelo Governo do Estado, e capacidade para transportar 35 mil passageiros por dia. 

A autorização para início das obras veio após publicação da Licença Ambiental de Instalação (LI), concedida pela Cetesb. Válida por seis anos, a LI era a última etapa legal antes da emissão da Ordem de Início de Obras pela EMTU. O prazo de conclusão do projeto é de 30 meses. 

O novo trecho vai integrar o Sistema Integrado Metropolitano, o SIM/VLT, gerenciado pela EMTU. Quando for completamente concluído, ele terá um total 27 km de extensão, considerando os 11,5km já em operação entre São Vicente e a Estação Porto, em Santos, e também a ligação entre Barreiros a Samaritá, na Área Continental de São Vicente, que está em projeto. O sistema deverá operar com 33 VLTs transportando diariamente 95 mil passageiros.