Guerra: entre polícias civil e militar

Policiais civis e militares de São Paulo estão em clima de guerra. Segundo apuração do ESTAÇÃO, diversas ocorrências realizadas vêm acirrando a disputa entre as duas polícias.

O jornal recebeu uma sequência de vídeos que será postada a cada três horas. Neles é possível observar o verdadeiro clima de tensão entre os policiais civis e militares e uma guerra paralela ocorrendo.

Nesse caso, um veículo foi abordado por policias militares da Rocam na zona sul da capital. Nele estava um policial civil do Deic (Departamento Estadual de Investigações Criminais). A abordagem terminou em confusão após os militares solicitarem a identificação do ocupante do veículo.

O civil, após a entrega das identificações, também solicitou a identificação dos militares que se recusaram a entregar, já que estavam devidamente fardados. Áudios obtidos pela reportagem também mostram o policial civil pedindo apoio. Em outro áudio, os militares afirmam que tal atitude foi desnecessária.

“Um veículo totalmente insulfilmado então fomos ver quem estava lá dentro. Desci da moto e fui conversar com ele. Perguntei se estava armado e ele já foi dizendo ‘é óbvio que estou armado’, então pedi que apresentasse a funcional. Ele entregou, desceu do carro, começou a discutir, gravar a ação e pedir apoio de outros civis. Pediu a nossa funcional sendo que estamos fardados. Algo totalmente desnecessário”, explica um dos policiais militares envolvidos na ação em um dos vídeos recebidos pela reportagem.

A justificativa para essa guerra é explicada em outro áudio que o ESTAÇÃO teve acesso. Nele, um dos policiais explica que é uma orientação do Governo do Estado que tem o interesse de unificar as duas polícias. “Estão fazendo de propósito estão seguindo ordem de alguém lá de cima que está querendo que essa bagunça pegue fogo. A realidade é essa. Isso daí não é sem querer não”, diz o policial.