Taboão da Serra diz que estado de SP enfrenta colapso no sistema de transferência de pacientes

A secretária adjunta da Saúde de Taboão da Serra, na Grande São Paulo, Thamires May, disse nesta terça-feira (9) que mais dois pacientes com Covid-19 morreram nas últimas horas à espera de leito de UTI no estado.

De acordo com Thamires, a cidade não consegue, desde a última quarta (3), transferir os casos graves para outras cidades e que oSistema Cross, que regula vagas SUS no estado, está em colapso.

“Desde o dia 3 nós não recebemos nenhuma vaga. (…) E todas as devolutivas do estado têm sido que o plano de contingência está ativado e que os leitos estão superlotados e não há como receber a nossa demanda”, relata a secretária.

“Não contávamos com esse colapso na [Sistema] Cross e isso que tem dificultado o nosso município”, complementa.

Com ocupação máxima, o sistema de saúde do município não consegue atender a demanda.

“Estamos com 11 pacientes entubados, 16 aguardando transferência via Cross e tivemos 11 óbitos, infelizmente, esses 11 estavam inseridos no sistema aguardando vaga em unidade de terapia intensiva”, relata.

A cidade é a primeira a registrar mortes de pessoas por falta de leitos de UTI no estado. A ocupação de leitos na Grande São Paulo está em 81,2%.

Por volta de 10h desta terça, a Secretaria Municipal de Taboão informou que foram liberadas quatro vagas de UTI para pacientes da cidade: dois deles encaminhados ao Hospital das Clinicas e dois para o Hospital de Guarulhos.