Saiba como eliminar os fungos: chuvas favorecem o mofo no ambiente

Foto: Divulgação

Períodos chuvosos são frequentes nesta época do ano e favorecem a proliferação de mofo em áreas internas e externas. Isso acontece porque a umidade e a pouca ventilação permitem que fungos e bactérias se instalem em determinados pontos das superfícies.

As cidades litorâneas sofrem ainda mais com a umidade devido à proximidade com o mar. E com as chuvas, a preocupação com o mofo se torna ainda maior nas regiões de praia.

A acomodação do mofo traz sérias consequências negativas à saúde das pessoas e pets. A presença de fungos no ambiente pode desencadear problemas respiratórios, como asma alérgica, rinite alérgica, sinusite fúngica, infecções fúngicas, entre outras doenças, destaca Elie Fiss, pneumologista do Hospital Sírio-Libanês.

“Pessoas que já apresentam algum problema respiratório, como asma e rinite, podem ter quadro agravado diante da presença do mofo, desencadeando crises de asma e de rinite. Os riscos à saúde existem para todas as faixas etárias, mas o contato do mofo na primeira infância (de zero a seis anos), obviamente mais vulnerável, e em idosos com alguma situação imunocomprometida podem ter evoluções para micoses pulmonares, podendo até acometer outros órgãos além do pulmão”, alerta o pneumologista.

Alguns cuidados são importantes para livrar os ambientes do mofo, como manter o ambiente arejado, permitir a presença de luz solar nos cômodos e corrigir problemas que contribuem para o surgimento do mofo, como infiltrações e superfícies danificadas.

As tintas imobiliárias anti-mofo, por sua vez, têm relação direta na criação de ambientes mais saudáveis, pois contribuem para livrar as superfícies de fungos e microorganismos. O diferencial das cores anti-mofo em relação às tintas convencionais está na formulação acrescida de aditivos bactericidas e fungicidas, que ajudam a eliminar mofos, inibindo nova contaminação.

Tintas como o Iquine Acaba com o Mofo matam o mofo existente e impedem o crescimento de mofo, bolor e outros organismos fúngicos na película de tinta, tanto em superfícies internas e externas.

“Para entender como a tinta antimofo protege o ambiente é preciso conhecer o processo de condensação, em que o vapor vira líquido. É o inverso do que ocorre na evaporação. A condensação ajuda a formar ambientes úmidos, favorecendo o surgimento de mofo. As tintas antimofo agem na retenção do calor das superfícies, o que dificulta a transformação do vapor em líquido, evitando, assim, a proliferação de mofos”, explica Jorge Holanda, Gerente de Relacionamento Técnico do Grupo Iquine.

Além de gerar resultados positivos à saúde, a composição da tinta antimofo aumenta a proteção da superfície contra a degradação típica de áreas emboloradas, como descascamento.

A aplicação das tintas antimofo pode ser feita em cima de uma superfície com mofo. Já as paredes com acentuado crescimento de mofo o ideal é que a superfície seja raspada com auxílio de uma espátula antes da aplicação de tinta diretamente sobre a superfície.

Único jornal diário gratuito no metrô